Mercado abrirá em 1 h 18 min
  • BOVESPA

    106.373,87
    -553,92 (-0,52%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    53.973,27
    +228,35 (+0,42%)
     
  • PETROLEO CRU

    85,26
    +1,44 (+1,72%)
     
  • OURO

    1.810,50
    -6,00 (-0,33%)
     
  • BTC-USD

    42.028,94
    -775,36 (-1,81%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.006,40
    -19,33 (-1,88%)
     
  • S&P500

    4.662,85
    +3,82 (+0,08%)
     
  • DOW JONES

    35.911,81
    -201,79 (-0,56%)
     
  • FTSE

    7.559,07
    -52,16 (-0,69%)
     
  • HANG SENG

    24.112,78
    -105,25 (-0,43%)
     
  • NIKKEI

    28.257,25
    -76,27 (-0,27%)
     
  • NASDAQ

    15.335,00
    -260,75 (-1,67%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2938
    0,0000 (0,00%)
     

Peru acelera dose de reforço por variante ômicron da covid-19

·2 min de leitura
Profissional de saúde aplica vacina da Pfizer-BioNTech contra a covid-19 em uma pessoa no distrito de Santa Anita, periferia leste de Lima, em 15 de novembro de 2021 (AFP/ERNESTO BENAVIDES)

O Peru vai acelerar a aplicação da dose de reforço da vacina contra a covid-19 para mitigar os contágios diante de uma possível terceira onda e evitar um colapso sanitário, após aumentarem para 12 nas últimas horas os casos da variante ômicron, anunciou o governo nesta segunda-feira (20).

"Será antecipada de 5 para 3 meses (o tempo de espera da dose de reforço) porque está demonstrado que as pessoas com a terceira dose têm até 75% de proteção contra estas variantes”, disse a jornalistas o ministro da Saúde, Hernando Cevallos.

A decisão foi anunciada após o aumento dos contágios pela variante ômicron, que chegou a 12 nesta segunda-feira após terem sido anunciados no domingo os quatro primeiros casos do país.

Entre os contagiados "alguns sim e outros não contavam (com a vacina). Por isso é conveniente ter esta terceira dose (...) Uma terceira onda poderia ocorrer com vacinados e não vacinados, dada a velocidade desta variante”.

"A velocidade de reprodução do vírus é muito superior à que nós conhecemos. Com esta velocidade de ataque, dificulta muito para nós termos capacidade de resposta", alertou a autoridade, diante do risco de um colapso do sistema sanitário, como ocorreu nas ondas anteriores da pandemia.

As doses de reforço usadas no Peru são as da farmacêutica americana Pfizer e do grupo sueco-britânico AstraZeneca.

A medida entrou em vigor nesta segunda-feira e podem receber a nova dose os maiores de 18 anos.

O Peru enfrenta um repique de casos, o que levou o governo a proibir as reuniões familiares e as festas de Natal e Ano Novo, bem com reforçar a campanha de vacinação.

Apesar de 74% da população ter sido imunizada com duas doses, o surgimento da variante ômicron ativou todos os alertas.

"(Setenta e quatro por cento de vacinados) é absolutamente insuficiente diante da variante ômicron. Precisamos superar os 80%. (Essa variante) escala da efetividade das vacinas", alertou o ministro da Saúde.

Com uma população de 33 milhões de pessoas, o Peru tem a maior taxa de mortalidade do mundo pela pandemia, com 6.122 óbitos por milhão de habitantes, segundo um balanço da AFP com base em dados oficiais.

No Peru, é obrigatória a apresentação do passaporte sanitário, certificando que a pessoa recebeu ao menos duas doses da vacina anticovid para ter acesso a estabelecimentos comerciais, trabalhar em ambientes fechados e usar o transporte público.

No último mês, os contágios dobraram para mais de 1.500 por dia e as mortes, a mais de 50 por dia.

No total, foram registrados mais de dois milhões de casos, com mais de 201.000 mortes.

ljc/cjc/mvv

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos