Perspectiva de impasse fiscal derruba petróleo

Os preços do petróleo estão em queda forte, depois de a reeleição do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, fazer crescerem os temores quanto a uma disputa acirrada no Congresso em torno de questões fiscais. Investidores disseram que a vitória de Obama abre caminho para uma batalha partidária sobre a ameaça do chamado "abismo fiscal", situação a ser criada em 1º de janeiro de 2013 com o fim de uma série de benefícios fiscais para os mais ricos, simultânea a cortes de gastos automáticos da ordem de US$ 600 bilhões.

Essa situação, que poderia conduzir à desaceleração da economia e talvez mesmo a uma nova recessão, poderá ser evitada se o Congresso chegar a um acordo antes do fim de 2012. Mas, pelos resultados preliminares das eleições, a Casa Branca e o Senado devem permanecer nas mãos do Partido Democrata e a Câmara sob controle do Partido Republicano, praticamente garantindo que o impasse sobre questões orçamentárias vai prosseguir.

"Vamos ter mais desse tipo de 'chutar as coisas para a frente'. Mesmo que Romney tivesse vencido, continuaríamos a ter um legislativo dividido", comentou Jason Schenker, da Prestige Economics.

O informe do Departamento de Energia (DoE), de que os estoques norte-americanos de petróleo bruto registraram um crescimento de 1,8 milhão de barris na semana passada, também contribuiu para a queda dos preços; os estoques de gasolina também cresceram, depois de o furacão Sandy causar uma redução da demanda no Nordeste do país.

Às 14h50 (pelo horário de Brasília), os contratos de petróleo bruto para dezembro estavam cotados na New York Mercantile Exchange (Nymex) a US$ 85,23 por barril, em queda de US$ 3,49 (3,93%). Na Intercontinental Exchange (ICE), os contratos do petróleo Brent para dezembro caíam US$ 3,29 (2,96%), para US$ 107,78 por barril. As informações são da Dow Jones.

Carregando...