Mercado fechado
  • BOVESPA

    128.767,45
    -497,51 (-0,38%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.129,88
    -185,81 (-0,37%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,08
    +0,02 (+0,03%)
     
  • OURO

    1.779,00
    +1,60 (+0,09%)
     
  • BTC-USD

    32.396,60
    +616,58 (+1,94%)
     
  • CMC Crypto 200

    767,68
    -26,65 (-3,36%)
     
  • S&P500

    4.246,44
    +21,65 (+0,51%)
     
  • DOW JONES

    33.945,58
    +68,61 (+0,20%)
     
  • FTSE

    7.090,01
    +27,72 (+0,39%)
     
  • HANG SENG

    28.309,76
    -179,24 (-0,63%)
     
  • NIKKEI

    28.884,13
    +873,20 (+3,12%)
     
  • NASDAQ

    14.275,25
    +17,00 (+0,12%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9198
    0,0000 (0,00%)
     

Perspectiva econômica da Argentina piora em meio a surto de vírus, dizem economistas

·1 minuto de leitura
Pessoas fazem fila do lado de fora de banco em Buenos Aires

Por Cassandra Garrison

BUENOS AIRES (Reuters) - As perspectivas econômicas da Argentina para 2020 pioraram abruptamente em meio à pandemia global de coronavírus, mostrou uma pesquisa do banco central do país nesta segunda-feira, um grande golpe num momento em que o país tenta sair da recessão e evitar um default soberano prejudicial.

A pesquisa mensal mostrou que o Produto Interno Bruto deve recuar 4,3% este ano, à medida que a Argentina enfrenta o custo econômico do vírus que levou o país a fechar suas fronteiras e impor um bloqueio nacional.

O número caiu acentuadamente em relação à previsão de contração de 1,2% na pesquisa com economistas do banco central do mês anterior.

O governo peronista de centro-esquerda da Argentina fez da recuperação da economia -- que recuou nos últimos dois anos -- um foco particularmente importante conforme busca renegociar cerca de 83 bilhões de dólares em dívidas com credores.

A potência de grãos também deve cerca de 44 bilhões de dólares ao Fundo Monetário Internacional (FMI), que tem apoiado as reivindicações do governo de que suas dívidas são insustentáveis.

A pesquisa do banco central mostrou inflação de 40% em 2020, mantendo a estimativa anterior na mesma pesquisa realizada pela autoridade monetária um mês antes.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos