Mercado abrirá em 5 h 53 min

Perseverance é o nome do rover da NASA que buscará bioassinaturas em Marte

Patrícia Gnipper

No ano passado, a NASA pediu que estudantes estadunidenses dos ensinos fundamental e médio enviassem sugestões de nome para o rover que buscará sinais de vida no terreno marciano, como parte da missão Mars 2020, a ser lançada neste ano. Agora, saiu o resultado do concurso Name the Rover — e o próximo rover da NASA a ser lançado para Marte se chama Perseverance ("perseverança", em português).

A escolha foi anunciada pela agência espacial nesta quinta-feira (5). Quem sugeriu o nome vencedor foi um aluno da sétima série em uma escola no estado de Virgínia, chamado Alexander Mather. Sua sugestão foi a escolhida entre 28 mil inscrições feitas por estudantes de todo o território dos EUA, deixando para trás nomes como Endurance, Tenacity, Promise, Vision, Clarity, Ingenuity, Fortitude e Courage — todos também sugeridos por alunos de escolas públicas e privadas.

Vale lembrar que envolver estudantes na tomada de decisões quanto a nomes de missões e sondas espaciais é algo que a NASA faz com certa frequência. Em 1997, jovens alunos escolheram o nome Sojourner para o veículo exploratório da missão Pathfinder — o primeiro a transitar em Marte, por sinal. Depois, a agência também pediu a colaboração de estudantes para escolher o nome de seus outros rovers marcianos, incluindo o Spirit, o Opportunity e o Curiosity. Com isso, a agência tenta fazer com que crianças e adolescentes nutram interesse por áreas STEM (ciência, tecnologia, engenharia e matemática), bem como fiquem empolgadas com a exploração espacial, em geral.

O garoto cuja sugestão de nome foi a escolhida para o rover Perseverance receberá um convite para viajar com sua família à Estação da Força Aérea de Cabo Canaveral, na Flórida, para assistir ao lançamento da missão Mars 2020 com o rover a bordo. O lançamento acontecerá em um dia ainda a ser definido entre 17 de julho e 5 de agosto deste ano, com a nave pousando na cratera Jezero em fevereiro de 2021.

Sobre o rover Perseverance e sua busca por bioassinaturas marcianas

O veículo exploratório é uma espécie de cientista robótico, ainda mais evoluído do que o Curiosity — este que explora Marte desde 2012. Sua missão principal será a busca de bioassinaturas, que, se encontradas, indicarão que existiu vida microbiana por lá no passado.

(Imagem: NASA)

Por isso, pousará na cratera Jezero, que, há bilhões de anos, abrigava um lago e um delta de rio. Se algum dia existiu mesmo vida em Marte, certamente isso aconteceu onde havia água líquida e, então, regiões como a cratera Jezero ainda podem abrigar evidências disso. Vale ressaltar que, aqui na Terra, deltas de rios são excelentes em preservar bioassinaturas, então pode-se considerar o mesmo para outro planeta rochoso.

Nessa busca, o Perseverance usará um conjunto poderoso de sete instrumentos científicos e, com eles, também conseguirá realizar outros estudos. Um deles é a caracterização do clima e da geologia do planeta, recolhendo amostras de rocha e poeira para que uma próxima missão faça a coleta, trazendo as amostras à Terra — o que provavelmente acontecerá em 2031.

Outro estudo do rover da missão Mars 2020 será procurar depósitos de gelo subterrâneo graças a um radar de penetração, enquanto outro instrumento analisará a presença de oxigênio na fina atmosfera marciana, dominada por dióxido de carbono. O novo rover possui, ainda, 23 câmeras e dois microfones, e possivelmente nos permitirá ouvir os sons da superfície de Marte pela primeira vez na história.

Por fim, a missão Mars 2020 também fará uma demonstração tecnológica importante, além de tudo o que o rover Perseverance nos proporcionará. O módulo de pouso levará uma aeronave chamada Mars Helicopter, que é um rotocraft autônomo, para testar a viabilidade e potencial de um helicóptero do tipo voar em Marte. Ele fará 30 dias de teste com voos não muito altos, subindo algo em torno de 100 metros por no máximo 90 segundos. Com isso, a NASA pretende testar as novas tecnologias aplicadas ao helicóptero prevendo futuras missões exploratórias capazes de sobrevoar um planeta não muito amigável a um pouso na superfície.


Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: