Mercado abrirá em 9 h 44 min
  • BOVESPA

    119.371,48
    -690,52 (-0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.092,31
    +224,69 (+0,46%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,77
    +0,34 (+0,55%)
     
  • OURO

    1.786,30
    +4,30 (+0,24%)
     
  • BTC-USD

    49.991,10
    -2.953,82 (-5,58%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.135,42
    -107,64 (-8,66%)
     
  • S&P500

    4.134,98
    -38,44 (-0,92%)
     
  • DOW JONES

    33.815,90
    -321,41 (-0,94%)
     
  • FTSE

    6.938,24
    +42,95 (+0,62%)
     
  • HANG SENG

    29.041,70
    +286,36 (+1,00%)
     
  • NIKKEI

    28.983,31
    -204,86 (-0,70%)
     
  • NASDAQ

    13.774,50
    +24,25 (+0,18%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5450
    +0,0034 (+0,05%)
     

Pernambuco inicia retomada gradual de aulas presenciais

Jonas Valente – Repórter Agência Brasil
·3 minuto de leitura

O estado de Pernambuco iniciou hoje (5) a retomada gradual de aulas presenciais em meio à pandemia do novo coronavírus. Hoje voltaram às escolas os alunos da educação infantil e dos primeiros anos do Ensino Fundamental da rede particular.

Segundo o calendário estadual de volta às aulas, no dia 12 de abril está previsto o retorno dos estudantes dos anos finais do ensino fundamental e do ensino médio da rede particular.

De acordo com o governo, a liberação do retorno gradual foi definida a partir da avaliação da situação epidemiológica do estado. Depois de três semanas de crescimento da demanda por internações, na última semana de março a trajetória apresentou queda.

Números da Covid-19

De acordo com o Boletim Epidemiológico do estado, divulgado ontem (4), foram registrados 635 novos casos e 28 novas mortes por covid-19. No total, 12.377 pessoas já perderam a vida para o novo coronavírus e 355.517 já se infectaram.

Conforme o boletim, a ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) estava em 97% ontem na rede pública de saúde e em 88%, na rede privada.

Rede pública

O retorno dos alunos da rede pública estadual de ensino começará daqui a duas semanas, em 19 de abril. Neste dia será a vez dos alunos do 3º ano do Ensino Médio, do Médio integrado à educação profissional e Educação de Jovens e Adultos, na modalidade médio. Neste dia também voltarão alunos dos anos iniciais do ensino fundamental e ensino infantil.

A partir de 26 de abril, a volta está marcada para o 2º ano do ensino médio, anos finais do ensino fundamental (8º e 9º anos) e educação de jovens e adultos na modalidade fundamental.

No dia 3 de maio, retornam às aulas as turmas restantes: os alunos do 1º ano do ensino médio e dos anos finais do ensino fundamental (6º e 7º anos), além dos adolescentes no ensino de instituições de medidas socioeducativas.

A decisão do governo estadual também permite que aulas das redes municipais possam ser reiniciadas a partir de 26 de abril.

Protocolo

Um protocolo com medidas de segurança foi elaborado pelo governo do estado. Entre as regras estão a medição de temperatura, o uso de máscaras e a higienização das mãos com álcool em gel.

O documento contém também requisitos como manter distância de pelo menos 1,5 metro, definir locais fixos para estudantes em sala de aula, reduzir a circulação em ambientes comuns (como refeitórios), suspender a realização de eventos e escalonar diferentes horários de entrada e saída.

Os alunos que não quiserem comparecer às escolas poderão seguir acompanhando as aulas por meio de uma plataforma criada para a disponibilização dos conteúdos (EducaPE).

A vice-presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação da Rede Estadual de Pernambuco, Ivete Caetano, argumenta que, além de ter sido tomada sem diálogo com os trabalhadores da educação, a medida ignora riscos aos trabalhadores, alunos e suas famílias e ignora a possibilidade de garantir o direito à educação de forma remota.

"Estamos vendo com muita aflição pois não há indicadores que possibilitem a garantia do princípio da segurança sanitária. Os números de óbitos, casos e ocupação de leitos de UTI diminuíram um pouco na semana passada, mas ainda estão em aceleração. Os protocolos não resolvem pois as escolas em alguns casos não conseguem cumprir e não estão separadas da sociedade em uma pandemia descontrolada. Alunos e professores pegam ônibus lotado sem distanciamento", pontua.