Mercado fechado

Pernambucanas tem dificuldade para importar produtos da China

Alexandre Melo

Na concorrente C&A, o cronograma e logística de roupas importadas da China não sofreu qualquer alteração por impacto da epidemia de coronavírus Varejistas de vestuário que atuam no Brasil reportaram situações adversas que influenciam a operação por causa da epidemia de coronavírus na China.

A rede Pernambucanas observa impacto do envio de produtos da China para o Brasil, com a prolongação do feriado do Ano-Novo Lunar devido à epidemia de coronavírus. No entanto, a varejista, formada por 356 lojas, informou, em nota, que o impacto, até o momento, ainda não afetou o abastecimento dos pontos de vendas.

A rede afirmou que está acompanhando a situação de perto com os funcionários em Xangai e que todos estão bem. Mas as viagens dos empregados da área comercial para o país asiático foram canceladas.

Na concorrente C&A, o cronograma e a logística de roupas importadas da China não sofreu qualquer alteração por impacto da epidemia de coronavírus. A rede também disse que acompanha a situação atentamente e trabalha para mitigar quaisquer riscos.

Em média, 30% dos produtos vendidos pelas grandes varejistas são importados do território chinês.

Procurada, a Associação Brasileira do Varejo Têxtil (Abvtex) afirmou que não tem informações a respeito do tema.