Mercado abrirá em 8 h 46 min
  • BOVESPA

    121.113,93
    +412,93 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.726,98
    +212,88 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    62,91
    -0,22 (-0,35%)
     
  • OURO

    1.777,70
    -2,50 (-0,14%)
     
  • BTC-USD

    57.174,16
    -2.011,98 (-3,40%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.299,98
    -91,73 (-6,59%)
     
  • S&P500

    4.185,47
    +15,05 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    34.200,67
    +164,67 (+0,48%)
     
  • FTSE

    7.019,53
    +36,03 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    29.207,80
    +238,09 (+0,82%)
     
  • NIKKEI

    29.760,47
    +77,10 (+0,26%)
     
  • NASDAQ

    14.043,00
    +13,50 (+0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6718
    -0,0143 (-0,21%)
     

Permanência de sintomas em pacientes curados de Covid pode ter impactos graves, diz OMS

Kate Kelland
·2 minuto de leitura
Paciente com Covid-19 em hospital em Porto Alegre (RS)

Por Kate Kelland

LONDRES (Reuters) - Milhares de pacientes de Covid-19 continuam a sofrer com sintomas graves, debilitantes e duradouros muitos meses depois de sua infecção inicial, o que causa grandes consequências sociais, econômicas e de saúde, alertaram especialistas de saúde europeus nesta quinta-feira.

Ao publicar um relatório de orientação de iniciativa da Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre a doença, muitas vezes classificada de "Covid prolongada" ou "síndrome pós-Covid", especialistas disseram que cerca de um de cada dez pacientes de Covid-19 ainda passa mal 12 semanas após sua infecção aguda, e muitos sofrem com sintomas por muito mais tempo.

"Esta é uma doença que pode ser extremamente debilitante. Aqueles que sofrem dela descrevem uma combinação variada de sintomas coincidentes... dor peitoral e muscular, fadiga, fôlego curto... confusão mental e muitos outros", disse Martin McKee, professor do Observatório Europeu de Sistemas e Políticas de Saúde que liderou o relatório.

Hans Kluge, diretor regional europeu da OMS, disse que a Covid prolongada pode ter "consequências sociais, econômicas, ocupacionais e de saúde graves".

"O fardo é real, e é considerável", disse.

Ele exortou as autoridades de saúde a ouvirem as preocupações dos pacientes, levá-las a sério e estabelecer serviços para ajudá-las.

Indícios crescentes de todo o mundo apontam para muitos milhares de pessoas lidando com a Covid prolongada. A doença não parece estar ligada ao fato de a infecção ter sido grave ou amena.

Um relatório inicial do ano passado do Instituto Nacional de Pesquisa de Saúde britânico sugeriu que a Covid prolongada pode não ser uma doença, mas diversas síndromes que causam uma montanha-russa de sintomas que afetam o corpo e a mente.

Kluge observou que, assim como qualquer doença nova, ainda se desconhece muita coisa sobre a Covid-19.

"Precisamos ouvir e... entender. Aqueles que sofrem de doenças pós-Covid precisam ser ouvidos se for para entendermos as consequências de longo prazo e a recuperação da Covid-19", disse. "Esta é uma prioridade clara da OMS (e) deveria ser de toda autoridade de saúde".

(Reportagem adicional de Stephanie Nebehay em Genebra)