Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.168,91
    +1.259,30 (+1,14%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.581,47
    +1.407,41 (+2,81%)
     
  • PETROLEO CRU

    80,60
    +2,40 (+3,07%)
     
  • OURO

    1.783,50
    +19,80 (+1,12%)
     
  • BTC-USD

    17.049,46
    +583,65 (+3,54%)
     
  • CMC Crypto 200

    405,26
    +4,57 (+1,14%)
     
  • S&P500

    4.068,00
    +110,37 (+2,79%)
     
  • DOW JONES

    34.487,13
    +634,60 (+1,87%)
     
  • FTSE

    7.573,05
    +61,05 (+0,81%)
     
  • HANG SENG

    18.597,23
    +392,55 (+2,16%)
     
  • NIKKEI

    27.968,99
    -58,85 (-0,21%)
     
  • NASDAQ

    11.977,50
    +452,75 (+3,93%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4010
    -0,0556 (-1,02%)
     

Pequenos negócios geraram 70% dos empregos formais no 1º trimestre de 2021

Brazilian work card. Document. Formal job concept.
Micro e pequenas empresas criaram 587 mil novos postos com carteira assinada no 1º trimestre
  • Minha e pequenas empresas criaram 587 mil empregos com carteira assinada nos três primeiros meses de 2021

  • Número responde a 70% das vagas formais no período

  • Levantamento é do Sebrae

As micro e pequenas empresas (MPE) foram responsáveis por criar 587 mil novos postos de trabalho com carteira assinada no país entre janeiro e março, segundo levantamento do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) com base nos dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados). Esse número corresponde a 70% das vagas formais criadas no período.

Leia também:

Enquanto isso, as médias e grandes empresas (MGE) criaram 190 mil ocupações formais. Ou seja, a cada vaga criada por MGE, três foram abertas por MPE.

Segundo Carlos Melles, presidente do Sebrae, os resultados positivos do primeiro trimestre do ano refletem a importância dos pequenos negócios na economia e na retomada do crescimento. Para Meles, “a receita das MPE para combater a crise causada pela pandemia é a geração de empregos”.

“Quando comparamos com o 1º trimestre de 2020, os dados do Caged apontam que a evolução dos empregos gerados teve aumento de 400%. São números extremamente representativos da força dos pequenos negócios” afirmou.

Números nos estados

Em números absolutos, São Paulo foi o estado a liderar a criação de vagas em pequenos negócios, com 135 mil novas vagas com carteira assinada. Proporcionalmente, Mato Grosso foi o estado que teve mais contratações em pequenos negócios, com 56,1 novos empregos a cada mil já existentes. Em segundo, vêm Rio Grande do Norte (49,7) e Santa Catarina (48,9).

Na outra ponta, o Amazonas teve saldos negativos nos primeiros meses de 2021. Apesar da recuperação em março, o número de oportunidades abertas a cada mil já existentes foi de 3,3 a cada mil.