Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.282,28
    +2.032,55 (+1,84%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.338,34
    +510,21 (+1,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,41
    +0,18 (+0,25%)
     
  • OURO

    1.763,10
    -15,70 (-0,88%)
     
  • BTC-USD

    43.749,01
    +1.582,30 (+3,75%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.099,33
    +58,85 (+5,66%)
     
  • S&P500

    4.395,64
    +41,45 (+0,95%)
     
  • DOW JONES

    34.258,32
    +338,48 (+1,00%)
     
  • FTSE

    7.083,37
    +102,39 (+1,47%)
     
  • HANG SENG

    24.482,67
    +261,13 (+1,08%)
     
  • NIKKEI

    29.639,40
    -200,31 (-0,67%)
     
  • NASDAQ

    15.187,50
    +24,00 (+0,16%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2105
    +0,0017 (+0,03%)
     

Pequenas empresas recorrem ao crowdfunding para sobreviver à pandemia

·2 minuto de leitura

Como a pandemia da covid-19 causou um baque nas finanças de muitas pequenas empresas e profissionais liberais, o crowdfunding tem sido uma alternativa para que esses empreendimentos arrecadem dinheiro para seus projetos. Um dado recente da Comissão de Valores Mobiliários, ligada ao Ministério da Economia, aponta que R$ 84,4 milhões foram captados para empresas em 2020 — um aumento de 43% em relação aos R$ 59 milhões de 2019.

Em plataformas como Catarse, Padrim e Apoia.se, iniciativas que envolvam produção de conteúdo fazem bastante sucesso, como publicação de livros e quadrinhos, produção de podcasts e canais do YouTube, projetos de jornalismo e outros. Mas há também seminários para empreendedores, artesanato, peças originais para carros etc.

Para quem não sabe, o crowdfunding funciona assim: a empresa cadastra seu projeto na plataforma, apresenta informações sobre ele, estabelece o dinheiro que pretende arrecadar e o divide em cotas menores, que podem ser compradas pelos interessados. Normalmente as cotas oferecem algum tipo de recompensa, que fica melhor à medida que o comprador paga mais. Há também os modelos de assinatura, onde apoiadores contribuem mensalmente.

Guia da Sommelieria de Cervejas (Imagem: Reprodução/Catarse)
Guia da Sommelieria de Cervejas (Imagem: Reprodução/Catarse)

Alguns dos números que o Catarse divulgou sobre a performance da plataforma no ano passado foram animadores: foram mais de R$ 47,9 milhões transacionados, 68% a mais que o volume de 2019. Em dezembro, os pagamentos para projetos de assinatura chegaram a R$ 986,9 mil, contra R$ 636,2 mil em janeiro de 2020.

A campanha +Livros teve a parceria de 16 marcas e o apoio de 1.100 pessoas. Como resultado, o valor arrecadado de R$ 485.104 contemplou 36 autores (R$ 2.000 para cada), 35 editoras e 35 livrarias (R$ 5.000 para cada). Um deles foi o Guia da Sommelieria de Cervejas, manual complementar na formação técnica dos sommelières de cervejas organizado por Bia Amorim.

A meta da editora Krater era chegar a R$ 55 mil em 42 dias para imprimir 1.000 livros. O objetivo foi superado em apenas um dia e atualmente já quase dobrou a meta. O excedente será usado para produzir um número maior de exemplares. "Queremos fazer parte de uma evolução constante do mercado, contribuindo para que ele tenha a qualidade e o reconhecimento que merece", pontua Diego Masiero, sócio da editora Krater.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos