Mercado fechará em 19 mins
  • BOVESPA

    108.079,63
    -3.359,73 (-3,01%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.516,12
    -791,59 (-1,54%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,56
    -1,41 (-1,96%)
     
  • OURO

    1.763,10
    +11,70 (+0,67%)
     
  • BTC-USD

    43.570,20
    -4.067,12 (-8,54%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.083,86
    -50,53 (-4,45%)
     
  • S&P500

    4.335,91
    -97,08 (-2,19%)
     
  • DOW JONES

    33.817,88
    -767,00 (-2,22%)
     
  • FTSE

    6.903,91
    -59,73 (-0,86%)
     
  • HANG SENG

    24.099,14
    -821,62 (-3,30%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,75 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    14.882,00
    -444,00 (-2,90%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2693
    +0,0699 (+1,13%)
     

Pequenas e médias empresas faturam mais de R$ 1 bi no e-commerce no 1º semestre

·1 minuto de leitura

Mais de R$ 1 bilhão. Esse foi o total que pequenas e médias empresas (PMEs) brasileiras faturaram no primeiro semestre de 2021 no comércio online. Os dados são de uma pesquisa da plataforma de vendas digitais Nuvemshop. O montante é mais que o dobro (140%) do alcançado no mesmo período de 2020: o total faturado à época foi R$ 428 milhões.

O levantamento foi feito a partir de informações do banco de dados da Nuvemshop, que tem mais de 85 mil negócios cadastrados. As análises mostram que os pedidos na plataforma saltaram de 9,3 milhões (no primeiro semestre de 2020) para mais de 20 milhões agora em 2021. Esses números representam aumento de 121%.

Thomas Carlsen, COO e cofundador da mywork, startup especializada em controle de ponto online e gestão de departamento pessoal para PMEs, aponta que, com a chegada da pandemia, pequenos e médios negócios, assim como consumidores, precisaram reinventar modelos de comércio e consumo. “Esse processo foi facilitado pelas plataformas de e-commerce. Muitos compraram online pela primeira vez e gostaram da experiência”, avalia.

Imagem: Reprodução/Elements/ckstockphoto
Imagem: Reprodução/Elements/ckstockphoto

Os segmentos que mais faturaram com o e-commerce no período foram: Moda (R$ 342,8 milhões), Saúde & Beleza (R$ 85,8 milhões), Acessórios (R$ 72,3 milhões), Casa & Jardim (R$ 42,2 milhões) e Eletrônicos (R$ 27,7 milhões). Assim como em 2020, São Paulo é o Estado que mais fatura com as vendas online no país. Em seguida vêm Minas Gerais e Rio de Janeiro.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos