Mercado fechado

Pequena indústria bate novo recorde negativo de desempenho, diz CNI

Juliano Basile

A retração foi sentida em todos os setores, com maior ênfase na transformação O Índice de Desempenho da Pequena Indústria, calculado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), está no seu menor nível histórico, após registrar queda de 13 pontos em março e 4,1 pontos em abril, quando o indicador ficou em 27,1 pontos numa escala de 0 a 100.

Os números fazem parte da sondagem Panorama da Pequena Indústria (PPI), que mede a retração nas atividades, a situação financeira, os principais problemas, o nível de confiança e as perspectivas dessas empresas.

A retração foi sentida em todos os setores, com maior ênfase na transformação, com 17,7 pontos negativos e construção, queda de 15,7 pontos. Em menor escala, aparece a extrativa, com uma redução de 6,9 pontos.

O Índice de Situação Financeira da pequena empresa caiu 9,1 pontos, para 32 pontos. O valor é 4,4 pontos abaixo do registrado no 1º trimestre de 2019 e 5,2 pontos abaixo da média histórica do indicador.

O otimismo registrado no início do ano se deteriorou diante da pandemia de covid-19, diz a CNI. Com quedas consecutivas em março (-3,4 pontos), abril (-25,2 pontos) e maio (-0,1 ponto), quando atingiu 34,8 pontos, o Índice de Confiança do Empresário Industrial (Icei) atingiu 34,8 pontos no último mês.

Quadro semelhante pode ser percebido no Índice de Perspectivas da Pequena indústria, que recuou 22,2 pontos em abril na comparação com o mês anterior e ficou em 29,2 pontos, menor patamar da série histórica iniciada em novembro de 2013.

Em maio, o índice registrou pequena melhora, de 2,5 pontos, para 31,7 pontos. O índice aponta que as perspectivas da pequena indústria seguem pessimistas, 13,7 pontos abaixo da média histórica.

A falta de demanda, “resultado das restrições impostas ao comércio, do isolamento e da piora da confiança dos consumidores”, assumiu a primeira posição no ranking de principais problemas enfrentados pelas pequenas empresas da indústria de transformação, destaca o relatório técnico do PPI.

“Como resultado da crise, nota-se, em todos os segmentos, aumento da importância da inadimplência dos clientes entre os principais problemas enfrentados pela pequena indústria. A falta de capital de giro também ganhou importância entre os principais problemas”, diz o documento.

“A falta de confiança contribui para a paralisação dos investimentos e dificulta a recuperação da atividade econômica”, explica o relatório técnico do PPI.

Fotos Públicas