Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.941,68
    -160,32 (-0,15%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.599,38
    -909,02 (-1,73%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,83
    -0,31 (-0,36%)
     
  • OURO

    1.836,10
    +4,30 (+0,23%)
     
  • BTC-USD

    35.208,36
    +109,48 (+0,31%)
     
  • CMC Crypto 200

    870,86
    +628,18 (+258,85%)
     
  • S&P500

    4.397,94
    -84,79 (-1,89%)
     
  • DOW JONES

    34.265,37
    -450,03 (-1,30%)
     
  • FTSE

    7.494,13
    -90,88 (-1,20%)
     
  • HANG SENG

    24.965,55
    +13,25 (+0,05%)
     
  • NIKKEI

    27.522,26
    -250,64 (-0,90%)
     
  • NASDAQ

    14.411,00
    -15,50 (-0,11%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1900
    +0,0599 (+0,98%)
     

Pente-fino do INSS: 85 mil beneficiários de auxílio-doença já podem ficar sem pagamento

·2 min de leitura

Os 85 mil beneficiários do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) em todo país, sendo 6 mil do estado do Rio de Janeiro, que foram convocados para passar pela revisão dos benefícios por incapacidade temporária e não agendaram atendimentos já podem ter seus pagamentos suspensos. O prazo para marcar as perícias médicas acabou no dia 19.

— O INSS geralmente suspendendo benefício para que o segurado compareça e agende a perícia. Após a perícia ele restabelece, se for o caso. Ou cessa se não houver mais incapacidade — explica Adriane Bramante, presidente do Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário (IBDP).

Apesar da realização de mutirão para comunicar os segurados, de ter publicado no Diário Oficial da União o nome de 95 mil segurados que não agendaram a perícia. Desse total, cerca de 85 mil pessoas não realizaram o agendamento. Serão esses que terão o pagamento suspenso.


Os beneficiários de auxílio-doença que tiverem seus pagamentos suspensos ainda podem reverter a situação, segundo o INSS. Para isso é preciso agendar a perícia médica pelo aplicativo ou site Meu INSS ou ainda ligando para a Central 135, que funciona de segunda-feira a sábado, das 7h às 22h, orienta o INSS.

— Após 60 dias da suspensão, se não houver agendamento, lembramos que o benefício será cancelado — pontua a autarquia.

No dia do atendimento pericial, além dos documentos pessoais, deverão ser apresentados, na perícia médica, laudos contendo CID (Classificação Internacional de Doença), atestados, receitas, exames recentes e outros documentos médicos que comprovem a incapacidade para o trabalho.

De acordo com o INSS, o procedimento é destinado exclusivamente aos beneficiários do antigo auxílio-doença, incluindo o acidentário, e engloba apenas as pessoas que estão há mais de seis meses sem passar por perícia médica e sem data definida para cessação do benefício.

Aposentados por invalidez e pensionistas com mais de 60 anos, assim como os que recebem o benefício há 15 anos ou mais e têm 55 anos de idade, além dos portadores de HIV estão fora desse pente-fino.

Quem não tem condições de ir ao posto do INSS pode agendar pela central 135 a perícia em casa ou no hospital, em caso de internação.

1. Faça o login no Meu INSS

2. Clique em "Do que você precisa?", escreva "Agendar Perícia" e, em seguida, em "Novo Requerimento"

3. Escolha entre "Perícia Inicial", se for a primeira vez, ou "Perícia de Prorrogação", se já estiver em benefício

4. Siga as orientações que aparecem na tela

5. Informe os dados necessários para concluir o seu pedido

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos