Mercado fechará em 45 mins
  • BOVESPA

    119.765,02
    -1.476,61 (-1,22%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.624,14
    -833,88 (-1,79%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,92
    +0,56 (+1,07%)
     
  • OURO

    1.841,20
    +11,30 (+0,62%)
     
  • BTC-USD

    36.980,46
    +538,73 (+1,48%)
     
  • CMC Crypto 200

    731,97
    +16,78 (+2,35%)
     
  • S&P500

    3.800,43
    +32,18 (+0,85%)
     
  • DOW JONES

    30.975,08
    +160,82 (+0,52%)
     
  • FTSE

    6.712,95
    -7,70 (-0,11%)
     
  • HANG SENG

    29.642,28
    +779,51 (+2,70%)
     
  • NIKKEI

    28.633,46
    +391,25 (+1,39%)
     
  • NASDAQ

    12.964,50
    +162,25 (+1,27%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4898
    +0,0945 (+1,48%)
     

Brasil registra mais de mil mortes diárias pela COVID-19 desde setembro

Fidel Forato
·2 minuto de leitura

Depois de meses vivendo uma baixa do número de óbitos diários em decorrência do novo coronavírus (SARS-CoV-2), o Brasil voltou a ultrapassar a marca dos mil mortos, em 24h, na quinta-feira (17). Pela primeira vez desde setembro, o país atingiu essa marca com 1.091 óbitos, segundo o levantamento do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass). A última vez que isso ocorreu foi no dia 15 de setembro, com 1.090 óbitos.

Quanto aos números totais da COVID-19, são 7.110.433 casos diagnosticados da infecção, sendo que 69.825 foram notificados ontem. A média móvel é de 46.948 casos novos por dia na última semana. Atualmente, o Brasil acumula 184.826 mil óbitos desde o início da epidemia, sendo que a média móvel de mortes nos últimos sete dias é de 723.

Vale lembrar que esse valor considera uma média do número de registros do dia e dos seis anteriores. Além disso, ela costuma ser comparada com as médias das outras duas semanas para avaliar se há tendência de alta, de estabilidade ou de queda. No país, o movimento é de alta.

Brasil registra mais de mil mortes pela COVID-19 pela primeira vez desde setembro (Imagem: Reprodução/ Fernando Zhiminaicela/ Pixabay )
Brasil registra mais de mil mortes pela COVID-19 pela primeira vez desde setembro (Imagem: Reprodução/ Fernando Zhiminaicela/ Pixabay )

Além da expansão da COVID-19, outro motivo que justifica o elevado número de casos foi o atraso na divulgação dos dados do Estado de São Paulo. Devido a instabilidades no sistema, os dados do coronavírus não foram divulgadas na quarta-feira (16) e foram somados aos da quinta. No total, apenas São Paulo notificou 399 mortes e 20.303 casos na última atualização, de ontem.

COVID-19 no Brasil

O estado de São Paulo registra os maiores números totais da infecção respiratória desde a chegada do coronavírus em fevereiro. Agora, são 1.361.731 casos confirmados e 44.681 mortes acumuladas. Em seguida, no ranking nacional, estão os seguintes estados: Minias Gerais (483.369 casos e 10.933 mortes); Bahia (461.026 casos e 8.720 mortes); Santa Catarina (448.162 casos e 4.598 mortes); e Rio de Janeiro (398.879 casos e 24.204 mortes).

No oposto dessa situação, somente três estados brasileiros registram menos de mil óbitos em decorrência da infecção por coronavírus. São, em ordem crescente de registros, os seguintes: Acre (39.166 casos e 756 mortes); Amapá (64.549 casos e 864 mortes); e Roraima (66.977 casos e 766 mortes).

A seguir, confira tabela do Conass com casos e óbitos da COVID-19 entre os estados brasileiros, além da taxa de letalidade da infecção:

 Brasil volta a registrar mais de mil óbitos devido ao coronavírus (Imagem: Reprodução/ Conass)
Brasil volta a registrar mais de mil óbitos devido ao coronavírus (Imagem: Reprodução/ Conass)

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: