Mercado abrirá em 5 h 31 min
  • BOVESPA

    130.091,08
    -116,88 (-0,09%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.908,18
    -121,36 (-0,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,45
    +0,33 (+0,46%)
     
  • OURO

    1.859,50
    +3,10 (+0,17%)
     
  • BTC-USD

    40.295,25
    -11,48 (-0,03%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.001,08
    -9,52 (-0,94%)
     
  • S&P500

    4.246,59
    -8,56 (-0,20%)
     
  • DOW JONES

    34.299,33
    -94,42 (-0,27%)
     
  • FTSE

    7.214,46
    +41,98 (+0,59%)
     
  • HANG SENG

    28.446,65
    -191,88 (-0,67%)
     
  • NIKKEI

    29.291,01
    -150,29 (-0,51%)
     
  • NASDAQ

    14.042,75
    +12,50 (+0,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1160
    -0,0019 (-0,03%)
     

Peixe Urbano pode entrar na lista de sites sujos criada pelo Procon-SP

·2 minuto de leitura

Responsável pela venda de cupons de descontos para estabelecimentos comerciais diversos, o Peixe Urbano foi notificado oficialmente pelo Procon-SP na última sexta-feira (7). O movimento acontece após o site e o aplicativo da plataforma saírem do ar e consumidores ficarem meses sem ter suas demandas respondidas pela empresa.

Segundo o Procon-SP, caso a demanda não seja atendida em até 48 horas, a empresa pode ter seu nome incluído na lista “Evite Esses Sites”. Segundo informações do jornal O Globo, o motivo para a falta de respostas é simples: o Peixe Urbano não tem mais dinheiro para operar, tampouco para realizar o processo de demissão de seus funcionários.

A plataforma possui uma dívida de pelo menos R$ 50 milhões e não depositou o 13° salário de seus colaboradores até o começo deste ano. Em uma reunião realizada em junho de 2020, o CEO Nicolás Leonicio teria afirmado que o serviço estava em negociações com investidores que poderiam resultar em uma nova injeção de recursos, que acabaram nunca vindo.

Funcionários foram demitidos sem receber valores devidos

Apresentando prejuízos a anos, o Peixe Urbano viu suas vendas despencarem com a pandemia do COVID-19, o que resultou na demissão de 200 empregados no fim de março — nenhum deles pago pela empresa. O serviço fechou seus escritórios em São Paulo e Rio de Janeiro, enquanto sua sede em Florianópolis passa por um processo de despejo.

Sequer contando com recursos para iniciar um processo de recuperação judicial, o CEO ainda espera encontrar um comprador capaz de assumir o modelo de negócios. Nas redes sociais, as últimas atividades registradas ocorrem no dia 2 de fevereiro, através de mensagens que alertavam sobre uma “intermitência sistema” do site, cuja página principal se encontra fora do ar até o momento em que esta notícia vai ao ar.

O Canaltech entrou em contato com a assessoria de imprensa do Peixe Urbano para obter um posicionamento em relação à notificação do Procon-SP, mas não obteve uma resposta até a publicação. Vamos atualizar a publicação assim que tivermos uma resposta oficial por parte da empresa.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: