Mercado fechado

Pedidos semanais de auxílio-desemprego nos EUA têm queda inesperada

Pessoas fazem fila do lado de fora do Kentucky Career Center em Frankfort, EUA

WASHINGTON (Reuters) - O número de pessoas entrando com novos pedidos de auxílio-desemprego nos Estados Unidos caiu de maneira inesperada na semana passada, sugerindo que o mercado de trabalho continua apertado apesar da taxa de juros mais alta.

Os pedidos iniciais de auxílio-desemprego recuaram 15.000, para 190.000, em dado com ajuste sazonal e referente à semana encerrada em 14 de janeiro, informou o Departamento do Trabalho nesta quinta-feira. Economistas consultados pela Reuters estimavam 214.000 pedidos para a semana.

Parte da surpreendente queda nos pedidos provavelmente deve-se a desafios de ajuste dos dados a flutuações sazonais no início do ano.

Em meio à volatilidade sazonal, os pedidos permaneceram em níveis consistentes com um mercado de trabalho apertado, mesmo com as demissões aceleradas no setor de tecnologia e em áreas sensíveis às taxas de juros, como finanças e habitação.

Os dados de pedidos de auxílio-desemprego cobriram o período durante o qual o governo consultou empresas para o relatório de empregos fora do setor agrícola referente a janeiro.

(Por Lucia Mutikani)