Mercado fechado
  • BOVESPA

    109.954,70
    +2.575,78 (+2,40%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.657,97
    +390,77 (+0,92%)
     
  • PETROLEO CRU

    44,89
    +1,83 (+4,25%)
     
  • OURO

    1.804,40
    -33,40 (-1,82%)
     
  • BTC-USD

    19.020,96
    +569,00 (+3,08%)
     
  • CMC Crypto 200

    377,87
    +8,12 (+2,20%)
     
  • S&P500

    3.635,41
    +57,82 (+1,62%)
     
  • DOW JONES

    30.046,24
    +454,97 (+1,54%)
     
  • FTSE

    6.432,17
    +98,33 (+1,55%)
     
  • HANG SENG

    26.588,20
    +102,00 (+0,39%)
     
  • NIKKEI

    26.165,59
    +638,22 (+2,50%)
     
  • NASDAQ

    12.078,00
    +172,75 (+1,45%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3874
    -0,0529 (-0,82%)
     

Pedidos semanais de auxílio-desemprego nos EUA sobem inesperadamente

·1 minuto de leitura
Fila de emprego em loja da Target em São Francisco, EUA
Fila de emprego em loja da Target em São Francisco, EUA

WASHINGTON (Reuters) - O número de norte-americanos que entraram com novos pedidos de auxílio-desemprego aumentou inesperadamente na semana passada, já que uma nova rodada de fechamento de empresas para controlar a disseminação da Covid-19 desencadeou nova onda de demissões, desacelerando ainda mais a recuperação do mercado de trabalho.

Os pedidos iniciais de auxílio-desemprego totalizaram 742 mil em dado ajustado sazonalmente na semana encerrada em 14 de novembro, em comparação com 711 mil na semana anterior, disse o Departamento do Trabalho dos EUA nesta quinta-feira.

Economistas consultados pela Reuters previam 707 mil pedidos na última semana.

(Por Lucia Mutikani)