Mercado fechado
  • BOVESPA

    99.621,58
    -969,83 (-0,96%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.061,61
    -373,84 (-0,77%)
     
  • PETROLEO CRU

    109,94
    +0,16 (+0,15%)
     
  • OURO

    1.820,00
    +2,50 (+0,14%)
     
  • BTC-USD

    20.039,05
    -295,82 (-1,45%)
     
  • CMC Crypto 200

    430,05
    -9,62 (-2,19%)
     
  • S&P500

    3.818,83
    -2,72 (-0,07%)
     
  • DOW JONES

    31.029,31
    +82,32 (+0,27%)
     
  • FTSE

    7.312,32
    -11,09 (-0,15%)
     
  • HANG SENG

    21.997,33
    +0,44 (+0,00%)
     
  • NIKKEI

    26.588,25
    -216,35 (-0,81%)
     
  • NASDAQ

    11.649,75
    -41,25 (-0,35%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4302
    +0,0196 (+0,36%)
     

Pedidos com Pix batem recorde e chegam a 11,5% das lojas online

Em abril, o número de pedidos pagos via Pix nas lojas online atingiu um índice histórico, com 11,5% de participação. Em abril do ano passado, o sistema representava apenas 2,6% dos pedidos no e-commerce, de acordo com levantamento da Neotrust, empresa de inteligência que monitora o comércio eletrônico brasileiro.

Em abril o Pix também representou 4% do faturamento total das lojas online, o maior índice de 2022 e segundo maior da história. Ele só fica atrás de dezembro de 2021, que apontou 4,2%, impulsionado pelas compras de Natal e fim de ano.

No primeiro trimestre deste ano, a participação do Pix no e-commerce também registrou crescimento em número de pedidos. Em janeiro, o Pix havia alcançado 8,3% dos pedidos; em fevereiro foi 8,8%; e em março fechou em 9,7%. Nos três primeiros meses de 2021, o índice foi de 1,7%, 2,5% e 3,4% para janeiro, fevereiro e março, respectivamente.

Participação do Pix nas lojas online foi de 11,5% de pedidos pagos em abril deste ano (Imagem: Divulgação/Marcelo Casal Jr/Agência Brasil)
Participação do Pix nas lojas online foi de 11,5% de pedidos pagos em abril deste ano (Imagem: Divulgação/Marcelo Casal Jr/Agência Brasil)

“O Pix vem avançando consideravelmente como um método de pagamento no comércio eletrônico, e atualmente já possui participação de mais de 10% nas compras digitais no país. Apesar de ser uma diferença grande de um ano para o outro, percebemos uma evolução mensal contínua do Pix nos pagamentos pelo e-commerce desde abril de 2021”, diz Paulina Dias, diretor de inteligência da Neotrust.

“Um dos fatores para sua rápida expansão deve-se à simplicidade, que substitui de maneira eficaz o boleto bancário, por exemplo. Outro ponto são as facilidades de que o consumidor dispõe, como o uso do Pix por meio do cartão de crédito e de forma parcelada”, conclui Dias.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos