Mercado fechará em 4 hs
  • BOVESPA

    112.167,40
    -2.260,78 (-1,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.258,69
    -427,34 (-0,81%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,70
    +0,26 (+0,32%)
     
  • OURO

    1.771,80
    +6,10 (+0,35%)
     
  • BTC-USD

    62.629,41
    +454,13 (+0,73%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.458,23
    -5,12 (-0,35%)
     
  • S&P500

    4.512,98
    +26,52 (+0,59%)
     
  • DOW JONES

    35.411,38
    +152,77 (+0,43%)
     
  • FTSE

    7.204,01
    +0,18 (+0,00%)
     
  • HANG SENG

    25.787,21
    +377,46 (+1,49%)
     
  • NIKKEI

    29.215,52
    +190,06 (+0,65%)
     
  • NASDAQ

    15.352,25
    +61,75 (+0,40%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4611
    +0,0696 (+1,09%)
     

Pedidos de auxílio-desemprego nos EUA aumentam inesperadamente

·1 minuto de leitura
Pessoas fazem fila em centro de carreiras em Kentucky, EUA

WASHINGTON (Reuters) - O número de norte-americanos que entraram com novos pedidos de auxílio-desemprego aumentou inesperadamente na semana, embora o mercado de trabalho continue a se recuperar.

Os pedidos iniciais de auxílio-desemprego aumentaram em 16 mil, para 351 mil em dado ajustado sazonalmente, na semana encerrada em 18 de setembro, informou o Departamento do Trabalho na quinta-feira.

Economistas consultados pela Reuters projetava 320 mil medidos na semana passada.

O furacão Aida, no final de agosto, devastou a produção de energia na costa dos EUA e derrubou a energia em Louisiana. Também provocou inundações no Mississippi, Nova York e Nova Jersey.

As solicitações de auxílio-desemprego caíram de um recorde de 6,149 milhões no início de abril de 2020, mas ainda permanecem acima da faixa de 200 mil a 250 mil considerada como consistente com condições saudáveis do mercado de trabalho.

Na quarta-feira, o Federal Reserve adotou um tom positivo sobre a economia, abrindo caminho para reduzir suas compras mensais de títulos "em breve" e sinalizando que aumentos de juros podem se seguir mais rapidamente que o esperado.

Os dados dos pedidos de auxílio da semana passada cobriram o período em que o governo pesquisou empregadores para o relatório de criação de vagas de trabalho de setembro.

A criação de vagas desacelerou em agosto, registrando o menor nível em sete meses. O Fed projetou a taxa de desemprego em 4,8% este ano, contra 4,5% previsto pelo banco central em junho. Em agosto, a taxa estava em 5,2%.

(Reportagem de Lucia Mutikani)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos