Mercado fechado
  • BOVESPA

    125.052,78
    -1.093,88 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.268,45
    +27,94 (+0,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,17
    +0,26 (+0,36%)
     
  • OURO

    1.802,10
    -3,30 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    33.640,76
    +1.043,24 (+3,20%)
     
  • CMC Crypto 200

    786,33
    -7,40 (-0,93%)
     
  • S&P500

    4.411,79
    +44,31 (+1,01%)
     
  • DOW JONES

    35.061,55
    +238,20 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.027,58
    +59,28 (+0,85%)
     
  • HANG SENG

    27.321,98
    -401,86 (-1,45%)
     
  • NIKKEI

    27.548,00
    +159,80 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.091,25
    +162,75 (+1,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1216
    +0,0014 (+0,02%)
     

Pedido da França e Alemanha por cúpula com Rússia encontra resistência na UE

·1 minuto de leitura
Primeiro dia da cúpula da União Europeia em Bruxelas

Por Robin Emmott e Gabriela Baczynska e Francesco Guarascio e Philip Blenkinsop

BRUXELAS (Reuters) - A França e a Alemanha pediram nesta quinta-feira uma cúpula da União Europeia (UE) com o presidente da Rússia, Vladimir Putin, mas encontraram firme resistência da Polônia e dos países bálticos, que não confiam no Kremlin.

O presidente francês, Emmanuel Macron, disse que a primeira cúpula da UE com Putin desde janeiro de 2014 seria uma chance para o diálogo e ganhou o apoio do chanceler austríaco, quando os líderes da UE chegaram para sua reunião em Bruxelas para discutir uma nova estratégia para melhorar as relações com Moscou.

"Precisamos de diálogo para defender nossos interesses... é um diálogo necessário para a estabilidade do continente europeu", disse Macron.

Líderes da UE também devem pedir à Comissão Europeia e ao principal diplomata da UE, Josep Borrell, "opções para medidas restritivas adicionais, incluindo sanções econômicas" contra a Rússia, de acordo com esboço do comunicado da cúpula visto pela Reuters.

Diplomatas afirmam que novas sanções podem ter como alvo a lavagem de dinheiro russa ou oligarcas poderosos suspeitos de corrupção no exterior, como fez o Reino Unido pela primeira vez em abril.

(Reportagem adicional de Thomas Escritt e Caroline Copley em Berlim e Ekaterina Golubkova em Moscou)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos