Mercado abrirá em 6 h 38 min
  • BOVESPA

    100.763,60
    +2.091,34 (+2,12%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.294,83
    +553,33 (+1,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    111,13
    +1,56 (+1,42%)
     
  • OURO

    1.828,80
    +4,00 (+0,22%)
     
  • BTC-USD

    20.832,65
    -386,44 (-1,82%)
     
  • CMC Crypto 200

    453,25
    -8,55 (-1,85%)
     
  • S&P500

    3.900,11
    -11,63 (-0,30%)
     
  • DOW JONES

    31.438,26
    -62,42 (-0,20%)
     
  • FTSE

    7.258,32
    +49,51 (+0,69%)
     
  • HANG SENG

    22.175,23
    -54,29 (-0,24%)
     
  • NIKKEI

    27.049,47
    +178,20 (+0,66%)
     
  • NASDAQ

    12.120,50
    +80,00 (+0,66%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5405
    -0,0036 (-0,06%)
     

PEC dos Combustíveis limita em R$ 29,6 bi compensações por corte de impostos

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - A PEC (Proposta de Emenda à Constituição) dos Combustíveis vai prever um limite de R$ 29,6 bilhões para a União subsidiar a redução de impostos estaduais sobre diesel, gás natural, GLP e etanol.

O valor foi divulgado nesta quarta-feira (8) pelo senador Fernando Bezerra (MDB-PE), que será o relator da PEC na Casa. O texto deve ser apresentado pelo líder do governo no Congresso, senador Eduardo Gomes (PL-TO).

Segundo Bezerra, os estados não serão obrigados a aderir, mas só receberão os recursos se aceitarem cortar os impostos estipulados.

A medida foi anunciada na segunda-feira (6) pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) como aposta do governo para reduzir os preços dos combustíveis no momento em que o chefe do Executivo aparece em segundo lugar nas pesquisas de intenção de voto.

A alta de preço desses produtos é apontada por membros da campanha do presidente como um obstáculo à sua reeleição.

Na ocasião, Bolsonaro afirmou que a compensação seria paga mediante se o estados zerarem as alíquotas de ICMS sobre diesel e gás de cozinha.

Agora, o texto detalhado por Bezerra em entrevista coletiva também vai prever compensação à redução a zero do imposto sobre gás natural e ao corte da alíquota sobre o etanol para 12%.

Os valores serão pagos em cinco parcelas mensais, em valor proporcional à participação dos estados e do Distrito Federal em relação à arrecadação total do ICMS em 2021 sobre os produtos alvo da medida.

O texto, de acordo com o senador, garante um repasse proporcional aos municípios, assim como a vinculação dos recursos à base de cálculo do Fundeb, fundo que financia ações de educação básica.

O valor do repasse é maior do que os R$ 25,7 bilhões que vinham sendo negociados pelos técnicos do governo federal.

Como mostrou a Folha de S.Paulo, o Ministério da Economia vem monitorando com atenção os próximos passos do Congresso Nacional na discussão das propostas, com o objetivo de evitar que a fatura fique ainda maior.

O limite estipulado pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, para o conjunto das medidas é de um impacto de R$ 50 bilhões.

Além do subsídio aos estados, o governo federal vai zerar as alíquotas de PIS/Cofins sobre gasolina e etanol da Cide sobre a gasolina. Cálculos preliminares apontam efeito de R$ 16,8 bilhões dessas medidas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos