Mercado fechará em 2 h 12 min
  • BOVESPA

    114.145,48
    -1.522,30 (-1,32%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.309,20
    +157,82 (+0,35%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,45
    +0,23 (+0,36%)
     
  • OURO

    1.773,10
    -24,80 (-1,38%)
     
  • BTC-USD

    49.813,23
    +130,54 (+0,26%)
     
  • CMC Crypto 200

    996,19
    +1,53 (+0,15%)
     
  • S&P500

    3.857,39
    -68,04 (-1,73%)
     
  • DOW JONES

    31.597,26
    -364,60 (-1,14%)
     
  • FTSE

    6.651,96
    -7,01 (-0,11%)
     
  • HANG SENG

    30.074,17
    +355,93 (+1,20%)
     
  • NIKKEI

    30.168,27
    +496,57 (+1,67%)
     
  • NASDAQ

    12.920,00
    -382,00 (-2,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7320
    +0,1615 (+2,46%)
     

PDVSA amplia exportação de petróleo em janeiro graças a novos clientes

Marianna Parraga e Mircely Guanipa
·1 minuto de leitura
Logo da PDVSA em posto em Caracas

Por Marianna Parraga e Mircely Guanipa

(Reuters) - O crescente pool de novos clientes da petroleira venezuelana PDVSA ajudou a estatal a impulsionar suas exportações em janeiro, embora o aumento não tenha sido suficiente para compensar o efeito cumulativo das sanções impostas pelos Estados Unidos, indicaram documentos da empresa e dados de rastreamento de navios.

Washington impôs grandes sanções à PDVSA no início de 2019, privando a empresa de seu principal mercado de exportação, os EUA.

Desde então, o governo norte-americano adicionou mais camadas de complexidade à estrutura de sanções, muitas vezes interrompendo as compras de clientes já estabelecidos e dificultando a busca da PDVSA, assim como de suas joint ventures e clientes, por navios para transporte de petróleo para a Ásia.

Em janeiro, um total de 22 navios-tanques deixaram os portos venezuelanos transportando petróleo e produtos refinados para exportação, principalmente para a China e outros destinos asiáticos, embarcando 544.290 barris por dia (bpd), mostraram os documentos e dados.

Essa média foi quase 12% superior ao volume exportado em dezembro, mas 43% inferior aos 960 mil bpd embarcados no mesmo período do ano anterior e 60% abaixo dos 1,38 milhão de bpd enviados em janeiro de 2019, antes das sanções.

Os mais novos clientes foram responsáveis pelas compras de mais de 76% do total das exportações, ou 414 mil bpd, enquanto cerca de 29 mil bpd de petróleo e combustíveis da Venezuela foram enviados para Cuba, um importante aliado político do presidente socialista Nicolás Maduro.

A PDVSA e o Ministério do Petróleo da Venezuela não responderam a pedidos por comentários.