Mercado fechado

PDT extingue processos por infidelidade contra quatro deputados federais

Folhapress

Outra metade dos deputados que descumpriram a orientação partidária, como Tabata Amaral, ainda está em disputa com as lideranças do partido O PDT decidiu extinguir nesta sexta-feira os processos por por infidelidade partidária abertos contra quatro dos oito deputados federais da sigla que votaram a favor da reforma da Previdência – Alex Santana (BA), Jesus Sérgio (AC), Silvia Cristina (RO) e Subtenente Gonzaga (MG).

A outra metade dos parlamentares que descumpriram a orientação da legenda – da qual faz parte a deputada Tabata Amaral (SP) – só terá a situação resolvida depois que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) julgar as ações iniciadas por eles para tentar deixar o partido sem perder o mandato.

Até lá, eles continuam filiados ao partido, ao mesmo tempo em que reivindicam judicialmente o direito de sair da agremiação e manter o assento no Congresso.

Além de Tabata, fazem parte desse grupo os deputados Flávio Nogueira (PI), Gil Cutrim (MA) e Marlon Santos (RS). Eles entraram com os processos no TSE no mês passado e alegaram perseguição do partido como argumento para requerer a posse sobre o mandato. Não há prazo para que a corte julgue os casos.