Mercado fechado

Flávio Dino diz que símbolo e nome do PC do B irão mudar

Flávio Dino anunciou que identidade do partido passará por mudanças. (Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PC do B), anunciou que o partido irá mudar o símbolo e até seu nome. Sem revelar a nova identidade visual da legenda, da qual é filiado desde 2006, Dino apenas indicou que as imagens de foice e martelo deixarão o símbolo. “São do século 19”, classificou governador.

E nos siga no Google News:

Yahoo Notícias | Yahoo Finanças | Yahoo Esportes | Yahoo Vida e Estilo

“Temos outras formas do trabalho que têm de estar representadas - além da foice e do martelo. Então é um processo em curso. Muito provavelmente haverá algum desfecho como outros países já fizeram no planeta, inclusive, no Brasil”, disse em entrevista ao programa Poder em Foco.

Leia também

No nome, a mudança deverá ser a retirada da palavra “comunista” do Partido Comunista do Brasil. A justificativa apresentada pelo governador é de que a palavra ganhou um “preconceito” quanto ao seu significado ideológico político-social.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

“Infelizmente, por conta dos ecos das ditaduras, difundiram-se muitos preconceitos contra a palavra ‘comunista’. É uma coisa meio curiosa, porque não há inclusive base etimológica. Comunista é comunhão, comum, comunidade. Então, a origem etimológica da palavra remete só a coisas boas: comunhão, partilha, comunidade”, afirmou.

“Mas, infelizmente, isso foi satanizado por certas atitudes ao longo da história, da ditadura militar e outras. E, infelizmente, atualizadas agora por esse extremismo. Então, temos que adotar uma tática que leve em conta a tática política, marcas etc., porém, sem alterar o conteúdo. Nós somos um partido de defesa do Brasil, que defende a nação, que tem um projeto nacional e que defende os mais pobres. Isso é o fundamental”, declarou.

Dino também criticou o que chamou de “patrulhamento” por parte de seus seguidores contrários às mudanças. “Todos podem, menos o PC do B. Ou seja, cobram que nós sejamos dogmáticos. Às vezes nos criticam dizendo: ‘O PC do B está traindo o seu ideário’. Mas por quê? Uma atualização não é necessária? Claro que é necessária”, afirma.