Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.669,90
    -643,33 (-0,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.627,67
    -560,48 (-1,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    59,34
    -0,26 (-0,44%)
     
  • OURO

    1.744,10
    -14,10 (-0,80%)
     
  • BTC-USD

    60.207,02
    +1.730,46 (+2,96%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.235,89
    +8,34 (+0,68%)
     
  • S&P500

    4.128,80
    +31,63 (+0,77%)
     
  • DOW JONES

    33.800,60
    +297,03 (+0,89%)
     
  • FTSE

    6.915,75
    -26,47 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    28.698,80
    -309,27 (-1,07%)
     
  • NIKKEI

    29.768,06
    +59,08 (+0,20%)
     
  • NASDAQ

    13.811,00
    +63,25 (+0,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7625
    +0,1276 (+1,92%)
     

Pazuello diz que a partir dessa semana Fiocruz e Butantan estabilizarão a produção nacional

EXTRA
·2 minuto de leitura

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, divulgou ontem vídeo afirmando que está em negociações com a Pfizer sobre a compra de doses de seu imunizante para o Brasil. Segundo ele, já a partir dessa semana a Fiocruz e o Instituto Butantan estabilizarão a produção nacional.

“A partir de agora a gente segue nos trâmites de fazer esse contrato o mais rápido possível”, disse o ministro, que vem sendo pressionado pelo aumento recorde nas mortes decorrentes da Covid-19 e formalizou, também ontem, a intenção de compra de quase 140 milhões de doses de vacinas dos laboratórios Pfizer e Janssen.

Em edição extra do Diário Oficial da União, o Ministério da Saúde permitiu a dispensa de licitação para destravar a aquisição dos imunizantes. Nas portarias, assinadas por Roberto Ferreira Dias, diretor do Departamento de Logística em Saúde da pasta, estão previstas 100 milhões de doses da Pfizer e 38 milhões da Janssen. O ministro se reuniu ontem, em conferência de vídeo, com representante da Pfizer e elogiou o cronograma apresentado pela farmacêutica, mas não deu detalhes sobre os números. Segundo fontes, a estimativa é de entrega de 9 milhões de doses do imunizante até junho, 30 milhões até setembro e 60 milhões de doses até dezembro, totalizando 99 milhões.

— A proposta de cronograma que está sendo apresentada é boa e a partir de agora a gente segue nos trâmites de fazer esse contrato o mais rápido possível — disse.

A representante da Pfizer que participou da reunião disse que a farmacêutica está “muito feliz” por dar continuidade às negociações, “para que a gente possa trazer a vacina à população brasileira”. Mais cedo, Pazuello havia afirmado a membros da Confederação Nacional dos Municípios (CNM) que gostaria de concluir a compra do imunizante ainda ontem. A pasta divulgou nota na qual Pazuello garantia a “estabilidade” no cronograma de entregas de vacinas contra a Covid-19 a partir deste mês.

— Já temos contratos alinhados para adquirir a vacina russa Sputnik V. O projeto de lei aprovado pela Câmara facilitou as negociações com Pfizer e Janssen— disse.