Mercado fechado

PayPal e Mercado Livre ampliam uso de carteiras digitais para 350 milhões de usuários

Flávia Furlan

Cada companhia vai operar de forma independente, mantendo suas próprias carteiras digitais O PayPal e o Mercado Livre fecharam acordo comercial para ampliar a aceitação e o uso de suas carteiras digitais, atingindo quase 350 milhões de usuários em todo o mundo. No entanto, o contrato prevê que cada companhia vai operar de forma independente, mantendo suas próprias carteiras digitais.

Mercado Pago

Divulgação

O acordo é mais um passo de aproximação entre as empresas. Em março deste ano, o PayPal, empresa de pagamentos americana cofundada pelo bilionário Peter Thiel, desembolsou US$ 750 milhões para adquirir ações do Mercado Livre, e-commerce com forte atuação na América Latina, que desenvolveu a carteira digital Mercado Pago. Com o aporte, o PayPal passou a deter 3% do Mercado Livre, que tem capital pulverizado na Nasdaq.

O acordo entre as empresas prevê que todo vendedor que aceita PayPal no mundo dará a opção de pagar com Mercado Pago aos 48 milhões de usuários brasileiros e mexicanos. A modalidade “Mercado Pago” aparecerá no momento do “check out”.

Já todos os sites que aceitam Mercado Pago no Brasil e no México também darão a opção de pagamento com PayPal para os 300 milhões de clientes da carteira americana do mundo todo — o acordo não prevê a inclusão de lojas físicas. O PayPal também será aceito no Mercado Livre.

As empresas ainda estão analisando uma forma de integrar a Xoom, serviço de remessas internacionais do PayPal, ao sistema do Mercado Pago. Assim, será possível enviar os recursos para a carteira digital do Mercado Livre.

A previsão é que os serviços estejam disponíveis no segundo trimestre de 2020. De acordo com as companhias, no Brasil, o acordo visa “exclusivamente estabelecer regras e procedimentos que viabilizem a interoperabilidade entre os arranjos de pagamento, nos termos da regulamentação do Banco Central”.