Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.197,82
    +967,70 (+0,83%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.845,83
    -200,75 (-0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    88,03
    +1,51 (+1,75%)
     
  • OURO

    1.725,00
    -5,50 (-0,32%)
     
  • BTC-USD

    20.043,25
    -314,49 (-1,54%)
     
  • CMC Crypto 200

    456,09
    -2,31 (-0,50%)
     
  • S&P500

    3.783,28
    -7,65 (-0,20%)
     
  • DOW JONES

    30.273,87
    -42,45 (-0,14%)
     
  • FTSE

    7.052,62
    -33,84 (-0,48%)
     
  • HANG SENG

    18.087,97
    +1.008,46 (+5,90%)
     
  • NIKKEI

    27.120,53
    +128,32 (+0,48%)
     
  • NASDAQ

    11.628,00
    -12,75 (-0,11%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1314
    -0,0365 (-0,71%)
     

Paulo Guedes duvida que 33 milhões de pessoas passam fome no Brasil: 'Mentira'

Guedes duvida de números sobre a fome, e ressalta conquistas de seu mandato como Ministro da Economia (AP Photo/Eraldo Peres)
Guedes duvida de números sobre a fome, e ressalta conquistas de seu mandato como Ministro da Economia (AP Photo/Eraldo Peres)
  • Relatório aponta que 33 milhões de pessoas estão em situação de insegurança alimentar;

  • Brasil retrocedeu ao patamar da fome da década de 1990, apontou pesquisa;

  • Em agosto Bolsonaro também questionou a veracidade dos números no programa Pânico, da Jovem Pan.

O Ministro da Economia, Paulo Guedes, duvidou da veracidade dos dados de cidadãos em situação de insegurança alimentar no país. No Brasil, cerca de 33 milhões de pessoas estão passando fome, segundo a Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (Rede PENSSAN)

"33 milhões de pessoas passando fome é mentira. Nós estamos transferindo para os mais pobres, com o Auxílio Brasil, 1,5% do PIB, três vezes mais do que recebiam antes", argumentou o ministro durante um evento da Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores).

Segundo a ONG, o número de brasileiros passando cresceu em 14 milhões em relação a 2020, voltando o país para o patamar da década de 1990. Isto é, retrocedendo as conquistas realizadas pelos governos dos últimos 30 anos em retirar a população da miséria.

Divulgados em junho deste ano, em agosto o presidente Jair Bolsonaro também questionou os números. Em uma entrevista ao programa Pânico, da Jovem Pan, o presidente afirmou que não vê pessoas "pedindo pão" na porta das padarias do Brasil.

Durante o evento da Fenabrave, Paulo Guedes aproveitou para defender sua atuação como Ministro da Economia em meio às críticas da sociedade civil. Para ele, as pessoas deveriam focar menos no aspecto político do governo e mais nos "fatos econômicos" feito por sua gestão. "A política pode fazer o barulho que quiser, mas o caminho é por outro lado", afirmou.