Mercado fechado

Paulo Guedes ameaça deixar governo Bolsonaro caso reforma da Previdência seja 'desidratada'

Paulo Guedes ameaça sair do governo caso o projeto de reforma da Previdência seja “desidratado” (Fátima Meira/Futura Press)

Ministro da Economia e um dos nomes mais fortes do governo Bolsonaro, Paulo Guedes ameaça sair do governo caso o projeto de reforma da Previdência seja “desidratado”. A fala, que aconteceu durante a cerimônia de posse do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, deixou a audiência em dúvida se ele estaria brincando ou não.

“Estamos num sistema de repartição que quebrou. Faliu antes de a população envelhecer. Vocês querem trazer seus filhos para isso? Se der acima de R$ 1 trilhão, eu digo que estamos numa geração de pessoas responsáveis e têm a coragem de assumir o compromisso de libertar filhos e netos de uma maldição previdenciária. Se botarem menos, eu vou dizer assim: ‘Eu vou sair daqui rápido, porque esse pessoal não é confiável. Não ajudam nem os filhos; então, o que será que vão fazer comigo?’”, declarou.

Guedes afirmou que o sistema previdenciário em atuação está “falido” e que ele não dá às contas públicas a possibilidade de sustentabilidade. Segundo o ministro, a situação atual é semelhante a de um avião que está sem combustível e pretende atravessar o oceano. A geração atual, segundo ele, pula de paraquedas, enquanto as futuras ficam no avião e vão para “o inferno”.

PEC da Previdência

A proposta da reforma da Previdência, encaminhada pelo governo ao Congresso, prevê uma economia de R$ 1,1 trilhão em 10 anos. A expectativa de especialistas, no entanto, é de que as mudanças promovidas no Congresso “desidratem” as medidas, amenizando seus efeitos e gerando uma economia de R$ 500 bilhões no período.

Leia também

Qual é a proposta de reforma da Previdência de Bolsonaro?