Mercado fechado

Consumidor não tem paciência para atendimento comum, diz CEO da Cielo

A inovação nos negócios é uma consequência da busca por uma melhor experiência de atendimento ao consumidor. É o que diz Paulo Caffarelli, CEO da empresa de pagamentos Cielo, no primeiro episódio de Líderes, nova produção original do Yahoo! Finanças.

SIGA O YAHOO FINANÇAS NO INSTAGRAM

“Empresas que atuam muito diretamente ligadas ao consumidor têm que colocá-lo em primeiro lugar acima de tudo”, diz Caffarelli. “Todas as consequências virão de dessa preocupação de trazer conveniência ao consumidor."

PODCAST LÍDERES: OUÇA A CONVERSA COMPLETA AGORA!

O CEO explica que a cultura de colocar a experiência do cliente em primeiro lugar passa por criar uma “cumplicidade” com todos os colaboradores da empresa. Isso exige que a liderança da companhia revisite processos em todos os estágios do negócio.

“O consumidor não tem mais tempo nem paciência para cair em um atendimento comum. Conforme o tipo de cliente que você tem, é preciso trazer para ele total resposta para as suas necessidades”, explica.

Líderes

O programa Líderes é apresentado por Luciana Pioto. A jornalista e atriz foi repórter de vídeos do UOL e também apresentou a previsão do tempo dos dois jornais estaduais da RICTV | Record TV Paraná. Ela também tem um canal no Youtube que, através do protagonismo negro, busca promover a igualdade racial e a empatia.

O primeiro episódio traz Paulo Kakinoff, presidente da Gol desde 2012, e Paulo Caffarelli, CEO da Cielo desde 2018. Ambas as empresas são conhecidas por ter processos operacionais muito coesos e funcionais, então dividiram um pouco do que aprenderam —e como isso acaba refletido nos preços ao consumidor final.

Antes de assumir a Cielo, Paulo Caffarelli teve uma trajetória de sucesso no Banco do Brasil, onde ficou durante 19 anos e chegou à presidência da instituição. Ele é considerado responsável por "revolucionar” a estatal, incluindo-a em processos do mundo digital.

A trajetória de Paulo Kakinoff também é exemplar. Ele ingressou na Volkswagen em 1996, como representante de assistência técnica. Aos 30, já era diretor na montadora, onde escalou cargos até atingir a diretoria executiva para América do Sul. Depois, foi presidente da Audi no país entre 2009 e 2012, quando assumiu a cadeira da companhia aérea.

O áudio do papo na íntegra será disponibilizado semanalmente nas principais plataformas de podcast, enquanto a versão compacta em vídeo estará no site do Yahoo!, Youtube e também nas redes sociais.