Passagem aérea e refeição fora de casa aceleram IPC-S

Passagem aérea e refeições em bares e restaurantes ficaram entre os cinco itens que mais contribuíram para a aceleração - de 0,63% para 0,73% - do Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPC-S) na passagem da primeira para a segunda quadrissemana de dezembro, divulgou nesta segunda-feira a Fundação Getulio Vargas (FGV).

No período, o item passagem aérea acelerou de 22,01% para 23,87% e as refeições em bares e restaurantes foram de 0,93% para 1,16%. Completam a lista das cinco maiores influências positivas no IPC-S móveis para residência (de 1,85% para 2,05%), aluguel residencial (de 0,52% para 0,56%) e tarifa de eletricidade residencial (de 2,76% para 2,10%).

Já na lista das cinco maiores influências negativas estão os itens automóvel usado (de -0,76% para -0,69%), cebola (de -8,93% para -7,17%), seguro facultativo para veículos (de 0,49% para -0,81%), batata-inglesa (de -3,69% para -2,38%) e máquina de lavar roupas (de -1,27% para -1,56%).

Alimentação foi o principal grupo responsável pela aceleração do IPC-S, ao passar de 0,86% para 1,23% da primeira para a segunda quadrissemana de dezembro. Nesta classe de despesa, destacam-se os itens hortaliças e legumes (de -4,51% para 0,64%), carnes bovinas (de 0,59% para 1,22%) e bebidas não alcoólicas (de 0,87% para 1,26%).

Também registraram acréscimo em suas taxas de variação os grupos Despesas Diversas (de 0,61% para 0,86%), Transportes (de 0,09% para 0,15%), Saúde e Cuidados Pessoais (de 0,43% para 0,49%) e Comunicação (de 0,03% para 0,04%). Nestas classes de despesa, destacam-se os itens cigarros (de 1,29% para 2,07%), gasolina (de -0,25% para -0,16%), artigos de higiene e cuidado pessoal (de 0,06% para 0,25%) e mensalidade para internet (de -2,26% para -1,43%), respectivamente.

A próxima apuração do IPC-S, com dados coletados até o dia 22, será divulgada no próximo dia 26.

Carregando...