Mercado fechará em 4 h 13 min
  • BOVESPA

    110.279,42
    +1.791,54 (+1,65%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.864,31
    +346,01 (+0,67%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,60
    +0,32 (+0,29%)
     
  • OURO

    1.852,10
    +10,00 (+0,54%)
     
  • BTC-USD

    30.413,08
    +631,96 (+2,12%)
     
  • CMC Crypto 200

    682,39
    +7,51 (+1,11%)
     
  • S&P500

    3.970,77
    +69,41 (+1,78%)
     
  • DOW JONES

    31.939,93
    +678,03 (+2,17%)
     
  • FTSE

    7.505,51
    +115,53 (+1,56%)
     
  • HANG SENG

    20.470,06
    -247,18 (-1,19%)
     
  • NIKKEI

    27.001,52
    +262,49 (+0,98%)
     
  • NASDAQ

    11.994,25
    +153,50 (+1,30%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1180
    -0,0348 (-0,68%)
     

Passageiro processa a Uber em R$ 340 milhões por ficar tetraplégico

·1 min de leitura
Carro da Uber
Empresa é acusada de negligência, já que motorista tinha histórico de condução perigosa

(Getty Images)

  • Passageiro abre processo contra a Uber após ficar tetraplégico;

  • William Good estava em uma corrida pelo aplicativo quando sofreu um acidente de carro;

  • Ele agora pede indenização de R$ 339 milhões.

Um passageiro norte-americano abriu um processo contra a Uber após ficar tetraplégico devido a um acidente de carro. William Good, de 31 anos, acusa a empresa de negligência e pede indenização por danos em US$ 63 milhões (R$ 339 milhões).

Leia também:

A tragédia aconteceu no dia 30 de abril de 2021, quando Good pediu um motorista pelo aplicativo para ir de seu trabalho, em Boston, até sua casa, em Somerville. O trajeto duraria cerca de 15 minutos, mas em um determinado ponto, o motorista fez um desvio brusco e bateu em um carro estacionado. O tranco fez com que o passageiro batesse a cabeça no banco da frente, resultando na paralisia.

Motorista possui mais de 20 infrações

De acordo com o processo, o profissional que conduzia o veículo possui um histórico de condução perigosa, com mais de 20 infrações. Dentre elas, reclamações por “não parar” o carro.

Por conta disso, Good acusa a Uber de colocar em risco “a saúde, segurança e bem-estar dos passageiros”. Ele ainda pontua que o acidente trouxe dor e sofrimento extraordinários e ferimentos que mudaram sua vida, unicamente porque a Uber não conseguiu “verificar, contratar e supervisionar adequadamente seu motorista”.

O processo foi aberto nesta terça-feira (25) no Tribunal Superior de Suffolk, nos Estados Unidos. Ao The Verge, a Uber disse que não comentaria o caso.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos