Mercado fechará em 5 h 17 min
  • BOVESPA

    116.526,64
    +296,52 (+0,26%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.611,01
    -435,57 (-0,95%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,10
    +0,58 (+0,67%)
     
  • OURO

    1.713,80
    -16,70 (-0,97%)
     
  • BTC-USD

    19.833,42
    -257,65 (-1,28%)
     
  • CMC Crypto 200

    449,28
    -9,12 (-1,99%)
     
  • S&P500

    3.731,48
    -59,45 (-1,57%)
     
  • DOW JONES

    29.957,90
    -358,42 (-1,18%)
     
  • FTSE

    7.027,43
    -59,03 (-0,83%)
     
  • HANG SENG

    18.087,97
    +1.008,46 (+5,90%)
     
  • NIKKEI

    27.120,53
    +128,32 (+0,48%)
     
  • NASDAQ

    11.375,00
    -265,75 (-2,28%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1506
    -0,0173 (-0,33%)
     

Partido político da Itália quer vender TIM Brasil

Atualmente, o governo italiano controla quase 10% do capital do grupo TIM
Atualmente, o governo italiano controla quase 10% do capital do grupo TIM (Getty Image)
  • Um partido quer vender a Tim Brasil

  • A empresa é operada pela Telecom Italia

  • A empresa tem uma dívida de 22 bilhões de euros

O partido político de direita Fratelli d’Italia, que está na liderança das pesquisas para as eleições, quer fechar o capital da Telecom Italia (controladora da TIM). Com isso, a unidade brasileira seria vendida para pagar dívidas do grupo.

Atualmente, a Telecom Italia passa por um processo de reestruturação que prevê a demissão de 9 mil dos 42,5 mil colaboradores, além da venda de ativos. Essa é uma tentativa de diminuir a dívida do grupo, fixada em 22 bilhões de euros (R$ 115 bilhões). As informações foram publicada pela imprensa internacional e confirmada pela Coluna com a chancela de fontes de mercado.

Como a demissão em massa não foi bem recebida pela população em um momento eleitoral, a população tem adotado um tom nacionalista, que pode diminuir o interesse de manter sedes de companhias operando em outros países.

“Acredito que não faz sentido manter a TIM Brasil enquanto estão previstas demissões na Itália, seria melhor vender a subsidiária brasileira”, disse Alessio Butti, parlamentar que atua como coordenador de políticas para tecnologias de informação e comunicação do partido, em entrevista ao jornal Affari Italiani.

No momento, o governo italiano controla quase 10% do capital da empresa que administra a operadora de telefone que também atua em solo brasileiro.

Além da venda da TIM Brasil, o deputado também quer evitar que o conglomerado francês Vivendi, um dos sócios do grupo, seja o maior beneficiário dos dividendos. Outro plano de Butti é tentar evitar que os Estados Unidos tenham acesso aos dados pessoais dos cidadãos italianos.