Mercado abrirá em 44 mins

Partido Novo define o nome do pré-candidato à prefeitura de SP

O nome precisará ser confirmado em convenção municipal do partido, no ano que vem, para concorrer à eleição. (Foto: Reprodução/Facebook)

Após processo seletivo, o partido Novo terminou por escolher o nome que já era considerado favorito para disputar a Prefeitura de São Paulo no ano que vem, Filipe Sabará.

Aos 36 anos, Sabará é ex-presidente do Fundo Social do estado de São Paulo e ex-secretário de Assistência Social da capital, tendo sido nomeado para os dois cargos pelo então prefeito e hoje governador, João Doria (PSDB). 

Leia também

Para se afastar do apadrinhamento do tucano e, assim, dissipar desconfianças no Novo, Sabará se demitiu há um mês do Fundo Social de SP, órgão de filantropia do estado. 

O nome dele precisará ser confirmado em convenção municipal do partido, no ano que vem, para concorrer à eleição, mas a confirmação nesse caso é vista como algo protocolar.

Na fase final do processo seletivo do Novo, Sabará disputou a indicação do partido com Claudio Lottenberg, presidente do conselho de administração da UnitedHealth; Diogo da Luz, que foi candidato ao Senado no ano passado; e Emerson Kapáz, empresário e ex-deputado federal pelo PSDB.

No total, 55 pessoas se inscreveram no processo seletivo do Novo para candidato a prefeito em São Paulo. A seleção teve três etapas, sendo a última uma entrevista com dirigentes da cúpula do partido.

Em entrevista à Folha de S.Paulo sobre o processo, o presidente da legenda, João Amoêdo, negou que a seleção pudesse ter viés de indicação política e afirmou que as escolhas seguem critérios técnicos.

A primeira etapa é uma análise de currículo, enquanto a segunda é uma entrevista com a consultoria Exec, especializada em recrutamento. Para participar da segunda fase, os candidatos tiveram que pagar R$ 4.000. 

O Novo abriu processo seletivo para candidatos a prefeito em 68 cidades, com 468 inscritos no total. Além de São Paulo, já houve pré-candidatos selecionados em seis cidades, incluindo o Rio de Janeiro, onde o empresário e ex-presidente do Flamengo Fred Luz foi escolhido. 

Depois de eleger quatro vereadores na eleição de 2016, a primeira da qual participou, o Novo alcançou bom resultado em 2018: elegeu oito deputados federais, 11 estaduais e um distrital, além do governador de Minas Gerais, Romeu Zema. O presidenciável Amôedo terminou em quinto lugar, com 2,5% dos votos válidos.

Sabará é fundador da ONG Arcah, que se dedica a reinserir moradores de rua no mercado de trabalho e é também herdeiro do Grupo Sabará, gigante da indústria química voltada à fabricação de cosméticos.

À frente da área social, Sabará defendeu a ideia de que a solução para a pobreza está mais no empreendedorismo do que em assistencialismo e programas sociais. Ele costuma usar o mote "liberal no social" para identificar sua atuação. 

Veja outras cidades onde o Novo já escolheu pré-candidato

  • Rio de Janeiro - Fred Luz

  • Recife - Charbel

  • Fortaleza - Geraldo Junior

  • Natal - Fernando Pinto

  • São José dos Campos (SP) - Agliberto Chagas

  • Joiville (SC) - Adriano Silva