Mercado fechado
  • BOVESPA

    109.068,55
    -1.120,02 (-1,02%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.725,96
    -294,69 (-0,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,38
    +0,37 (+0,51%)
     
  • OURO

    1.798,70
    +0,70 (+0,04%)
     
  • BTC-USD

    16.856,88
    -141,27 (-0,83%)
     
  • CMC Crypto 200

    394,86
    -7,18 (-1,79%)
     
  • S&P500

    3.933,92
    -7,34 (-0,19%)
     
  • DOW JONES

    33.597,92
    +1,58 (+0,00%)
     
  • FTSE

    7.489,19
    -32,20 (-0,43%)
     
  • HANG SENG

    18.814,82
    -626,36 (-3,22%)
     
  • NIKKEI

    27.686,40
    -199,47 (-0,72%)
     
  • NASDAQ

    11.506,25
    -3,25 (-0,03%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4670
    -0,0117 (-0,21%)
     

Partes do foguete SLS podem "expirar" com adiamentos da missão Artemis I

A data do lançamento da missão Artemis I já sofreu diversas mudanças e, enquanto o cronograma é alterado, os propulsores sólidos do foguete Space Launch System (SLS) se aproximam do fim de seu prazo de uso. O lançamento está atualmente programado para novembro, mas caso seja adiado novamente e fique para o fim de dezembro, por exemplo, a NASA terá que verificar se os propulsores ainda podem ser usados.

Durante uma coletiva de imprensa realizada no início do mês, oficiais da NASA afirmaram a repórteres que, com base em análises recentes, alguns componentes dos propulsores do SLS estão se aproximando de suas datas de expiração atuais.

“Quando você monta o primeiro segmento, começa um 'relógio' que, originalmente, tem 12 meses”, explicou Cliff Lanham, gerente de operações de veículo no Kennedy Space Center. Segundo ele, as análises mostraram que os componentes podem durar até 23 meses, mas este é um prazo com data para expirar.

Os componentes do SLS podem expirar, caso surja um novo adiamento da missão (Imagem: Reprodução/NASA/Joel Kowsky)
Os componentes do SLS podem expirar, caso surja um novo adiamento da missão (Imagem: Reprodução/NASA/Joel Kowsky)

“Uma parte expira no dia 8 de dezembro deste ano, e a outra, em 14 de dezembro”, alertou. Já as taxas de exposições ambientais chegam ao fim no dia 15 de dezembro. Isso significa que, se a missão Artemis I não for lançada em algum momento próximo destas datas, novas análises serão necessárias para as equipes descobrirem se as datas de expiração dos componentes do foguete podem ser estendidas.

“Cada um deles [componentes do SLS] tem uma diferente data de revisita, quando temos que voltar e refazer as análises”, explicou Jim Free, administrador associado da Diretoria de Desenvolvimento de Sistemas de Exploração para Missões.

No momento, a NASA planeja lançar a missão no dia 16 de novembro, com uma janela de lançamento de duas horas que se abre às 03h04, no horário de Brasília. Antes, a agência espacial esperava lançá-la no dia 14 de novembro, mas decidiu adiá-la em função da aproximação da tempestade tropical Nicole.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: