Mercado fechará em 3 h 36 min
  • BOVESPA

    111.055,00
    +2.161,68 (+1,99%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.404,44
    +625,57 (+1,50%)
     
  • PETROLEO CRU

    44,81
    -0,53 (-1,17%)
     
  • OURO

    1.812,20
    +31,30 (+1,76%)
     
  • BTC-USD

    19.369,72
    -30,04 (-0,15%)
     
  • CMC Crypto 200

    379,80
    -0,06 (-0,01%)
     
  • S&P500

    3.673,98
    +52,35 (+1,45%)
     
  • DOW JONES

    30.059,18
    +420,54 (+1,42%)
     
  • FTSE

    6.385,70
    +119,51 (+1,91%)
     
  • HANG SENG

    26.567,68
    +226,19 (+0,86%)
     
  • NIKKEI

    26.787,54
    +353,92 (+1,34%)
     
  • NASDAQ

    12.413,25
    +136,25 (+1,11%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3169
    -0,0443 (-0,70%)
     

Parlamento Europeu se recusa a ceder para desbloquear plano de recuperação

·1 minuto de leitura
O presidente do Parlamento Europeu, David Sassoli, gesticula ao pedir aos parlamentares que se acalmem, durante uma sessão plenária em Bruxelas, em 11 de novembro de 2020
O presidente do Parlamento Europeu, David Sassoli, gesticula ao pedir aos parlamentares que se acalmem, durante uma sessão plenária em Bruxelas, em 11 de novembro de 2020

O Parlamento Europeu não fará nenhuma concessão para satisfazer a Hungria ou a Polônia e, assim, suspender o veto à aprovação do orçamento plurianual da União Europeia e do plano de recuperação econômica pós-pandemia, anunciaram os líderes legislativos.

"Não haverá concessão da nossa parte", afirmaram o presidente do Parlamento, David Sassoli, e os líderes dos blocos políticos ao final de uma reunião em que foi discutido o bloqueio dos húngaros e poloneses, que acabou recebendo apoio também da Eslovênia.

A Hungria e a Polônia vetaram a aprovação dos dois pacotes financeiros, com valor total equivalente a cerca de dois trilhões de dólares. O motivo é a oposição à condicionalidade lançada pelo Parlamento sobre a qualidade democrática de cada país para acessar fundos da UE.

"Os dirigentes do Parlamento Europeu lamentam profundamente este bloqueio e reafirmam que os acordos fechados tanto sobre o orçamento plurianual quanto sobre a vinculação ao estado de direito não podem ser reabertos", disseram os parlamentares em nota.

O bloqueio à aprovação do orçamento plurianual e, especialmente, ao ambicioso pacote de apoio à recuperação econômica pós-pandemia, lançou a UE numa evidente crise política.

Nesta quarta-feira, o comissário europeu para a Economia, Paolo Gentiloni, e o vice-presidente executivo da Comissão Europeia, Valdis Dombrovskis, fizeram um dramático apelo a todos os governos para apoiarem os dois pacotes.

Enquanto isso, governantes da Hungria e da Polônia defenderam a decisão de exercer o veto. O primeiro-ministro polonês Mateusz Morawiecki disse ao parlamento de seu país que sua posição é um desafio à "oligarquia" de Bruxelas.

ahg/mb/ic/mvv