Mercado abrirá em 1 h 10 min
  • BOVESPA

    106.667,66
    +293,79 (+0,28%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    53.232,20
    -741,07 (-1,37%)
     
  • PETROLEO CRU

    86,77
    +1,34 (+1,57%)
     
  • OURO

    1.818,50
    +6,10 (+0,34%)
     
  • BTC-USD

    41.402,00
    -635,02 (-1,51%)
     
  • CMC Crypto 200

    984,16
    -25,23 (-2,50%)
     
  • S&P500

    4.577,11
    -85,74 (-1,84%)
     
  • DOW JONES

    35.368,47
    -543,34 (-1,51%)
     
  • FTSE

    7.574,63
    +11,08 (+0,15%)
     
  • HANG SENG

    24.127,85
    +15,07 (+0,06%)
     
  • NIKKEI

    27.467,23
    -790,02 (-2,80%)
     
  • NASDAQ

    15.242,50
    +36,50 (+0,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3149
    +0,0078 (+0,12%)
     

Parlamentares veem discurso de Bolsonaro como esboço de estratégia para 2022

·1 min de leitura
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 30.11.2021 - O presidente Jair Bolsonaro discursa para apoiadores de seu governo após evento em que se filiou ao PL, em Brasília. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 30.11.2021 - O presidente Jair Bolsonaro discursa para apoiadores de seu governo após evento em que se filiou ao PL, em Brasília. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Parlamentares de Brasília interpretaram os discursos de Jair Bolsonaro e do senador Flávio no ato de filiação do presidente ao PL como demonstração de que a estratégia para alcançar o 2º turno em 2022 do presidente será manter os votos entre evangélicos e evitar perda do eleitorado anti-PT para Sergio Moro (Podemos).

A oração antes da fala do presidente e a afirmação do filho de que o pai é um "humilhado que está sendo capacitado por Deus" miraram, na visão dos políticos, os fiéis e os partidos que os representam.

Os ataques de Flávio, como a comparação de Moro a um traidor, são classificados como reconhecimento de Bolsonaro de que vê no ex-ministro um adversário forte no eleitorado antipetista e entre defensores do combate à corrupção, carreiras de segurança e até militares.

No evento, o discurso mais político e eleitoral coube a Flávio Bolsonaro (RJ), que também se filiou ao PL nesta terça.

Flávio relembrou do episódio em que Moro divulgou conversa com a deputada Carla Zambelli (PSL-SP), de quem foi padrinho de casamento, a respeito da troca no comando da Polícia Federal. "Juntos, vamos vencer o vírus, qualquer traidor e qualquer ladrão de nove dedos, pelo bem do Brasil", afirmou.

O filho senador do presidente atacou também os governos petistas —que parte da plateia apoiou no passado. "Ainda querem nos fazer crer que um ex-presidiário, preso por roubar o povo brasileiro, estará à frente [de Bolsonaro nas pesquisas]."

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos