Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.937,98
    +173,72 (+0,15%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.657,68
    -195,69 (-0,40%)
     
  • PETROLEO CRU

    88,87
    -3,22 (-3,50%)
     
  • OURO

    1.794,30
    -21,20 (-1,17%)
     
  • BTC-USD

    24.016,21
    -269,97 (-1,11%)
     
  • CMC Crypto 200

    570,50
    -20,26 (-3,43%)
     
  • S&P500

    4.297,14
    +16,99 (+0,40%)
     
  • DOW JONES

    33.912,44
    +151,39 (+0,45%)
     
  • FTSE

    7.509,15
    +8,26 (+0,11%)
     
  • HANG SENG

    20.040,86
    -134,76 (-0,67%)
     
  • NIKKEI

    28.871,78
    +324,80 (+1,14%)
     
  • NASDAQ

    13.685,25
    +107,50 (+0,79%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1737
    -0,0298 (-0,57%)
     

Parlamentares argentinos rejeitam Orçamento e impõem a governo revés em negociações com FMI

·1 min de leitura
Parlamentares no Congresso argentino. REUTERS/Enrique Marcarian

Por Eliana Raszewski

BUENOS AIRES (Reuters) - A Câmara dos Deputados da Argentina rejeitou nesta sexta-feira o projeto de lei orçamentária do governo para 2022, minando o plano econômico do país e criando possível empecilho para as negociações com o Fundo Monetário Internacional (FMI) sobre uma dívida de 45 bilhões de dólares.

Depois de um longo --e em alguns momentos acalorado-- debate, 132 deputados votaram contra o projeto de lei, com 121 a favor e uma abstenção, uma grande derrota para o já enfraquecido governo do presidente peronista de centro-esquerda Alberto Fernández.

Agora, Fernández precisará decidir se estenderá o Orçamento de 2021 por decreto ou tentará aprovar um novo texto, o que gera incertezas à medida que o país negocia as etapas finais de um acordo com o FMI para o qual a clareza sobre os planos econômicos do país é fundamental.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos