Mercado fechará em 5 h 30 min
  • BOVESPA

    98.419,31
    -534,59 (-0,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.208,35
    +465,20 (+0,97%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,30
    +1,87 (+1,72%)
     
  • OURO

    1.809,20
    +7,70 (+0,43%)
     
  • BTC-USD

    19.577,19
    +537,99 (+2,83%)
     
  • CMC Crypto 200

    423,92
    +3,78 (+0,90%)
     
  • S&P500

    3.825,33
    +39,95 (+1,06%)
     
  • DOW JONES

    31.097,26
    +321,86 (+1,05%)
     
  • FTSE

    7.241,99
    +73,34 (+1,02%)
     
  • HANG SENG

    21.830,35
    -29,44 (-0,13%)
     
  • NIKKEI

    26.153,81
    +218,19 (+0,84%)
     
  • NASDAQ

    11.538,50
    -72,75 (-0,63%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5439
    -0,0148 (-0,27%)
     

'Paredes invisíveis' no espaço podem ajudar a explicar organização de galáxias

Cientistas propõem que espaço tem 'paredes invisíveis' que podem explicar organização de galáxias. Foto: Getty Images.
Cientistas propõem que espaço tem 'paredes invisíveis' que podem explicar organização de galáxias. Foto: Getty Images.
  • Pesquisadores divulgaram uma teoria de que galáxias menores podem estar se adaptando à ‘paredes invisíveis’;

  • Cientistas criaram uma teoria que explicaria as órbitas ‘incomuns’ das galáxias menores

  • Essa força poderia ser a responsável pelo arranjamento das galáxias em formas de disco.

O universo desperta a imaginação do ser humano com dúvidas sobre sua infinitude e complexidade. Com isso em mente, observações de astrofísicos sobre o mapeamento do cosmos já possibilitou a compreensão de que pequenas galáxias podem ser espalhadas em volta de suas galáxias hospedeiras.

E como efeito, novos dados agora revelam que tais galáxias menores formam discos finos ao redor de seus hospedeiros.

Uma reportagem no site de mídia americano-canadense Vice informa que dois pesquisadores da Universidade de Nottingham, na Inglaterra, divulgaram uma teoria de que essas galáxias podem estar se adaptando à ‘paredes invisíveis’, criadas pelo ‘simetrons’, uma nova classe de partículas.

Leia também:

O tópico, que parece confuso, apresenta uma nova informação que vai de encontro com modelos anteriores ditados pela astrofísica. E caso isso seja verdadeiro, a novidade pode remexer nas leis da astrofísica e introduzir uma nova espécie de física.

Na teoria padrão vigente, chamada de Matéria escura fria Lambda (Modelo Lambda-CDM), há a possibilidade de apenas três elementos principais existirem no universo: a constante cosmológica; a matéria escura fria; e a matéria convencional, que existe no dia a dia.

Os cientistas criaram uma teoria que explicaria as órbitas ‘incomuns’ das galáxias menores e que pertencem a uma quinta força desconhecida.

Esta, nunca antes concebida, poderia ser a responsável pelo arranjamento das galáxias em formas de disco, e os 'simetrons' poderiam estar criando ‘paredes de domínio’ nesses espaços, como ‘paredes invisíveis’.

“Sabemos que precisamos de novas partículas porque temos matéria escura e energia escura e, portanto, suspeitamos que precisaremos adicionar novas partículas ao nosso modelo padrão para explicar essas coisas”, disse Aneesh Naik, pesquisador da Universidade de Nottingan e principal autor do estudo, ao site americano-canadense Vice.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos