Mercado fechará em 2 h 45 min
  • BOVESPA

    108.857,21
    +1.027,48 (+0,95%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.767,88
    -567,63 (-1,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,03
    +0,89 (+1,15%)
     
  • OURO

    1.887,10
    +2,30 (+0,12%)
     
  • BTC-USD

    22.842,12
    -89,19 (-0,39%)
     
  • CMC Crypto 200

    527,12
    -9,78 (-1,82%)
     
  • S&P500

    4.129,14
    -34,86 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.053,01
    -103,68 (-0,30%)
     
  • FTSE

    7.892,05
    +27,34 (+0,35%)
     
  • HANG SENG

    21.283,52
    -15,18 (-0,07%)
     
  • NIKKEI

    27.606,46
    -79,01 (-0,29%)
     
  • NASDAQ

    12.609,50
    -167,25 (-1,31%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,6067
    +0,0296 (+0,53%)
     

Parece que o núcleo da terra parou de girar. Quais as consequências disso?

Um novo estudo realizado por Xiaodong Song e Yi Yang, pesquisadores da Universidade Peking, na China, sugere que o núcleo interno da Terra parou seu movimento de rotação. Segundo os autores, esta estrutura com tamanho semelhante ao de Plutão parou de girar na mesma direção que o restante do planeta — e, inclusive, pode até estar girando na outra direção.

Localizado a cerca de 5 mil quilômetros abaixo da superfície, o núcleo interno da Terra é como um “planeta dentro do planeta”, e pode girar independentemente porque flutua no núcleo externo, composto por metal líquido. Não se sabe ao certo como ocorre a rotação do núcleo interno e, para estudá-lo, os cientistas trabalham com pequenas diferenças das ondas sísmicas de terremotos e explosões nucleares.

A Terra é formada pela crosta, manto terrestre, núcleo externo e, finalmente, interno(Imagem: Reprodução/shooogp/Sketchfab)
A Terra é formada pela crosta, manto terrestre, núcleo externo e, finalmente, interno(Imagem: Reprodução/shooogp/Sketchfab)

Para o estudo, os autores analisaram as ondas sísmicas de terremotos ao longo das últimas seis décadas. Eles descobriram que o ritmo das ondas apresentou grandes mudanças ao longo dos anos, o que sugere que o núcleo interno estava em movimento e apresentou uma “face” diferente para elas, afetando o tempo do movimento das ondas.

Eles notaram também que, desde 2009, houve muito pouca mudança no tempo das ondas sísmicas, o que sugere que a rotação do núcleo interno pode ter sido pausada. Ao analisar as leituras sísmicas das décadas de 1960 e 1970, os autores sugerem que o núcleo interno pode oscilar em períodos de 70 anos, e que mudaria a direção de seu movimento a cada 30 anos.

Isso significa que o núcleo do nosso planeta poderia girar em uma direção, pausou seu movimento e o reverteu novamente na década de 1970. Agora, ele está sendo pausado novamente, e pode começar a girar na outra direção. “Se o modelo de oscilação estiver correto, esperamos que o núcleo interno continue girando mais lentamente que a superfície até o meio da década de 1940”, sugeriu Song.

Outro estudo publicado em junho pelo sismólogo Jon Vidale e pelo pesquisador Wei Wang sugeria que a rotação do núcleo interno muda em ciclos de seis anos, alterando a direção a cada três anos — o que corresponde a dados de pesquisadores independentes, que mostraram que a duração dos dias na Terra muda em ciclos de aproximadamente seis anos.

De qualquer forma, as conclusões não sugerem que a “pausa” do núcleo causará uma catástrofe ou efeitos perceptíveis na superfície. Mesmo assim, os autores destacam que acreditam haver alguma relação física entre as camadas da Terra, do núcleo interno até a superfície. “Esperamos que nosso estudo motive alguns pesquisadores a construir e testar modelos que tratem a Terra como um sistema integrado e dinâmico”, disseram.

O artigo com os resultados do estudo foi publicado na revista Nature Geoscience.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: