Mercado fechado
  • BOVESPA

    96.582,16
    +1.213,40 (+1,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    36.801,37
    -592,34 (-1,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    36,40
    +0,23 (+0,64%)
     
  • OURO

    1.870,80
    +2,80 (+0,15%)
     
  • BTC-USD

    13.574,01
    +143,34 (+1,07%)
     
  • CMC Crypto 200

    266,06
    +23,38 (+9,63%)
     
  • S&P500

    3.310,11
    +39,08 (+1,19%)
     
  • DOW JONES

    26.659,11
    +139,16 (+0,52%)
     
  • FTSE

    5.581,75
    -1,05 (-0,02%)
     
  • HANG SENG

    24.456,50
    -130,10 (-0,53%)
     
  • NIKKEI

    23.123,06
    -208,88 (-0,90%)
     
  • NASDAQ

    11.186,25
    -156,50 (-1,38%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7514
    +0,0058 (+0,09%)
     

Parceria Toyota-Panasonic fará baterias de lítio para híbridos no Japão

·1 minuto de leitura
.
.

TÓQUIO (Reuters) - Uma joint venture da Toyota com a Panasonic disse nesta terça-feira que vai produzir baterias de íon de lítio para carros híbridos em uma fábrica no Japão a partir de 2022 para atender à crescente demanda por veículos elétricos.

A linha de produção em uma fábrica da Panasonic em Tokushima terá capacidade para fabricar baterias para cerca de 500 mil veículos por ano, disse a Prime Planet Energy & Solutions.

"O mercado global de veículos elétricos deve continuar crescendo rapidamente", disse a empresa.

Fundada em abril, a Prime Planet Energy é 51% detida pela Toyota com a Panasonic possuindo o restante. O empreendimento reflete o impulso das empresas para se tornarem maiores participantes globais em uma indústria vital para o desenvolvimento de carros elétricos acessíveis.

A Panasonic, um dos maiores fabricantes de baterias para veículos elétricos do mundo, enfrenta intensa competição no fornecimento de baterias para fabricantes de automóveis, incluindo a Tesla. Os outros protagonistas são os fabricantes sul-coreanos e chineses, como Samsung SDI, LG Chem e CATL.

A Toyota, maior montadora do Japão, disse no mês passado que espera que as vendas anuais de veículos elétricos cheguem a 5,5 milhões em 2025, cinco anos antes do inicialmente estimado.

(Por Tim Kelly)