Mercado fechado
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,45 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,09 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,22
    -0,28 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.782,10
    +21,40 (+1,22%)
     
  • BTC-USD

    49.054,82
    -4.589,80 (-8,56%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.367,14
    -74,62 (-5,18%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,71 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.766,69
    -22,24 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    28.029,57
    +276,20 (+1,00%)
     
  • NASDAQ

    15.687,50
    -301,00 (-1,88%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3953
    +0,0151 (+0,24%)
     

‘Tinder dos boletos’, startups ajuda a negociar parcelas

·2 min de leitura
Foto: Getty Images
Foto: Getty Images

Por Matheus Mans

O engenheiro Marcelo Bertolini estava em uma situação complicada. Queria reduzir custos de alguns serviços, como plano de saúde e telefonia, mas simplesmente não conseguia. A todo o momento, a ligação caía, protocolos eram passados aos montes, atendentes faziam transferências e, no final das contas, ninguém o ajudava. “Perdi minhas manhãs nisso”, diz.

SIGA O YAHOO FINANÇAS NO INSTAGRAM

INSTALE O APP DO YAHOO FINANÇAS (ANDROID / iOS)

Contrariado, Bertolini começou a buscar soluções. Junto com o sócio Roberto Calderon, fundou a startup Parcela Mais Baixa. A ideia é possibilitar que o usuário possa fazer a portabilidade de suas contas e serviços de maneira rápida e fácil. Numa única plataforma, a pessoa informa quanto paga, quanto quer pagar e, assim, recebe propostas de empresas.

Leia também

Hoje, vários setores já são atendidos. Dentre eles, telecom, saúde, empréstimos, financiamento de veículos e de imóveis, seguros e, até mesmo, taxas bancárias e de cartão.

“A pessoa só precisa inserir dados básicos e informar quanto paga e quanto quer pagar por seus serviços. Do outro lado, temos corretores, financeiras, empresas e startups que encontram clientes em busca de serviços mais em conta”, explica Bertolini.

Marcelo Bertolini e Roberto Calderon, os sócios por trás do Parcela Mais Baixa (Foto: Divulgação)
Marcelo Bertolini e Roberto Calderon, os sócios por trás do Parcela Mais Baixa (Foto: Divulgação)

A ideia de Bertolini e Roberto, para ganhar dinheiro, é cobrar taxas das empresas para acessar a plataforma — ainda que neste momento inicial ela seja gratuita. As companhias cadastradas terão acesso a um tipo de cliente certeiro, que está em busca de novos serviços. “E-mails e mensagens no WhatsApp são respondidas no mesmo dia”, diz.

Nem todo mundo está dentro

Para avançar ainda mais no mercado, Bertolini destaca alguns cuidados. Primeiro, há uma preocupação em diversificar o máximo possível em cada setor. Uma mistura de empresas tradicionais, startups e agentes independentes é o ideal. Alguns setores, como o de telefonia, ainda são uma barreira. “Faltam empresas independentes”, diz o executivo.

Por fim, o Parcela Mais Baixa quer ter um cuidado na hora de escolher os parceiros. Assim, evita que o usuário tenha dor de cabeça posteriormente com tipo de tratamento ou serviço.

“Nós visitamos os escritórios das empresas, conversamos, entendemos”, resume Bertolini. “Temos uma espécie de acerto. Se o cliente recusar a oferta de uma empresa, ela precisa deixar aquilo de lado. Não pode ficar incomodando, não pode ir atrás novamente. Nós queremos livrar o cliente de uma dificuldade, uma preocupação. Não criar mais uma”.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos