Mercado abrirá em 3 h 23 min

Paranapanema reverte lucro e tem prejuízo no 2º trimestre

Ivan Ryngelblum

A Paranapanema encerrou o segundo trimestre com prejuízo líquido de R$ 276,4 milhões, revertendo lucro de R$ 102,8 milhões apurado no mesmo período de 2019, com a combinação de queda da receita e despesa financeira líquida.

A receita líquida da companhia caiu 22%, para R$ 1,1 bilhão, com a redução da demanda no mercado local decorrente da pandemia de covid-19. Apesar de as vendas de cobre primário terem subido 59%, as de produtos de cobre recuaram 63%.

A receita líquida também sofreu com efeito negativo do ajuste de avaliação patrimonial (Other Comprehensive Income - OCI), que corresponde ao efeito não monetário da variação cambial de 2015 diferida por conta de ajustes na contabilidade de “hedge”, afetando negativamente a receita em R$ 12,2 milhões.

A despesa financeira líquida somou R$ 136,1 milhões, revertendo a receita de R$ 47,3 milhões do mesmo período de 2019. Apesar da receita ter crescido 11,3 vezes, para R$ 565 milhões, as despesas avançaram 299,4 vezes, para R$ 701 milhões.

A Paranapanema registrou uma despesa operacional de R$ 104,8 milhões no segundo trimestre, revertendo o saldo positivo de R$ 12,7 milhões do mesmo período de 2019, quando ela reconheceu R$ 83,6 milhões em crédito da exclusão do ICMS da base de cálculo do PIS e da Cofins.

O resultado antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) foi negativo em R$ 95 milhões, revertendo o lucro de R$ 117 milhões, influenciado pelos créditos de PIS e Cofins. Excluindo este e outros itens não recorrentes, o resultado foi negativo em R$ 44,3 milhões, revertendo o saldo positivo do ano passado.