Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.575,47
    +348,38 (+0,32%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    41.674,30
    -738,17 (-1,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,53
    -0,18 (-0,39%)
     
  • OURO

    1.788,10
    -23,10 (-1,28%)
     
  • BTC-USD

    18.151,53
    +383,48 (+2,16%)
     
  • CMC Crypto 200

    333,27
    -4,23 (-1,25%)
     
  • S&P500

    3.638,35
    +8,70 (+0,24%)
     
  • DOW JONES

    29.910,37
    +37,90 (+0,13%)
     
  • FTSE

    6.367,58
    +4,65 (+0,07%)
     
  • HANG SENG

    26.894,68
    +75,23 (+0,28%)
     
  • NIKKEI

    26.644,71
    +107,40 (+0,40%)
     
  • NASDAQ

    12.257,50
    +105,25 (+0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3746
    +0,0347 (+0,55%)
     

Para usar internet Starlink, você precisa reconhecer Marte como um planeta livre

Patrícia Gnipper
·2 minuto de leitura

A internet via satélite Starlink começa a se tornar realidade aos poucos, com lançamentos periódicos de 60 satélites em cada voo, numa constelação que já passa das 800 unidades e que terá pelo menos 12 mil. Agora, com a fase pública dos testes beta já estando aberta, algumas "gracinhas" de Elon Musk começam a vir a público.

Exemplo disso foi o que revelou este usuário do Twitter, que, ao pesquisar os termos de serviço da SpaceX, descobriu que, para usar a internet Starlink, o beta tester precisa "reconhecer Marte como um planeta livre" e também concordar que "nenhum governo baseado na Terra tem autoridade ou soberania sobre as atividades marcianas".

Mas o que a internet Starlink, oferecida na Terra, tem a ver com Marte? Bom, tudo faz mais sentido ao lembrar que, há uma semana, a presidente e COO da SpaceX, Gwynne Shotwell, deu uma entrevista à TIME em que revelou o seguinte: a empresa espacial planeja criar, na órbita de Marte, um serviço de internet similar ao projeto Starlink que vem tomando forma aqui na Terra.

"Assim que levarmos as pessoas a Marte, elas precisarão de capacidade para se comunicar. Na verdade, entendo que será ainda mais crítico ter uma constelação como a Starlink ao redor de Marte. Mas é claro que você precisa conectar os dois planetas também, por isso nos certificamos de que temos uma telecomunicação robusta entre Marte e a Terra", disse a executiva à TIME no vídeo que você pode assistir abaixo (em inglês):

Vale também lembrar que Elon Musk tem planos ambiciosos para a colonização de Marte. Ele já chegou a dizer que pretende povoar o Planeta Vermelho com mais de 1 milhão de pessoas até 2050, sendo que seu novo e poderoso foguete Starship, ainda não inaugurado, será essencial para isso — e ele pode começar a voar ao Planeta Vermelho já em 2024.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: