Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.523,47
    -1.617,17 (-1,47%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.049,05
    +174,14 (+0,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,23
    -2,65 (-3,49%)
     
  • OURO

    1.877,70
    -53,10 (-2,75%)
     
  • BTC-USD

    23.336,94
    -21,35 (-0,09%)
     
  • CMC Crypto 200

    535,42
    -1,43 (-0,27%)
     
  • S&P500

    4.136,48
    -43,28 (-1,04%)
     
  • DOW JONES

    33.926,01
    -127,93 (-0,38%)
     
  • FTSE

    7.901,80
    +81,64 (+1,04%)
     
  • HANG SENG

    21.660,47
    -297,89 (-1,36%)
     
  • NIKKEI

    27.509,46
    +107,41 (+0,39%)
     
  • NASDAQ

    12.616,50
    -230,25 (-1,79%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5385
    +0,0488 (+0,89%)
     

Para quem é o Apple Watch Ultra?

Em 2022, a equipe do Canaltech analisou o Apple Watch Ultra. Porém, o seu propósito apresentado com tanta veemência pela empresa fez muitos usuários se perguntarem se o relógio inteligente é interessante apenas para praticantes de esportes extremos, ou existem outros públicos que podem comprá-lo.

Então, com o intuito de te ajudar a entender para quem é o Apple Watch Ultra, vou falar algumas características atrativas dele. Assim, com uma compreensão maior sobre o produto, ele pode fazer sentido até para usuários que não são aventureiros.

O intuito desse conteúdo não é recomendar a versão mais cara pelo seu preço, mas sim apontar elementos que justifiquem o valor cobrado pela Apple. Até porque nem todo mundo explora tudo que o Watch consegue proporcionar, mesmo em suas versões mais básicas.

A construção mais robusta faz diferença?

É notório que existem grandes diferenças visuais, quando comparamos o Apple Watch Ultra com o Watch Series 8. Afinal, a versão mais barata entrega uma carcaça em alumínio, enquanto o produto premium evolui o material para titânio aeroespacial.

Essa mudança é responsável pela resistência do relógio a temperaturas extremas. Com isso, o uso do acessório em ambientes com calor ou frio excessivo não afeta a integridade da construção.

Por outro lado, o peso pode ser um agravante para pessoas com pulsos mais finos, já que a discrição não é um dos seus pontos positivos. Além disso, a grandeza dele não entrega vantagens para a visualização dos conteúdos.

O Watch Ultra tem uma diferença mínima no tamanho do display em relação ao dispositivo menor — são 1,9 polegada no Series 8 e 1,92 polegada no Ultra —, e o material do vidro é o mesmo. Logo, para proteção e resistência à queda, não há disparidades.

A estrutura do Apple Watch Ultra é toda em titânio espacial (Imagem: Ivo/Canaltech)
A estrutura do Apple Watch Ultra é toda em titânio espacial (Imagem: Ivo/Canaltech)

Confesso que a minha experiência de uso do relógio inteligente robusto foi controversa. Por um lado, o tamanho gerava incômodo no meu pulso fino nos primeiros dias, mas, posteriormente, me adaptei bem e focando apenas nas funcionalidades agradáveis embutidas nele.

Acredito que, se eu não fosse tão sedentária, o Apple Watch Ultra seria um acessório essencial na minha rotina. O fato de ele resistir — sem arranhões — ao meu jeito estabanado, demonstra o quanto a gigante de Cupertino acertou na escolha do material para a construção desse produto.

Recursos pontuais para aventureiros

O Apple Watch Ultra possui muitos recursos que são um repeteco do que vemos na versão padrão, como a certificação IP6X de resistência à água. Por outro lado, esse aparelho é o único que pode ser utilizado na água salgada da marca, devido ao seu material mais resistente.

Com isso, o uso na prática de mergulho esportivo — snorkel — se aproveita do indicador de profundidade — utilizado em conjunto com o app Profundidade — para saber o nível de submersão. Graças aos sensores do relógio, o recurso do aplicativo pode ser ativado automaticamente, assim que o seu braço entra na água.

Outra característica que chama a atenção é a bússola, pois o elemento presente no modo Always on Display funciona de maneira dinâmica com o giroscópio do relógio. Além disso, a iluminação fluorescente permite a visualização do mapeamento em ambientes em que não há luzes artificiais, como no breu das florestas ou no fundo do mar.

O Apple Watch Ultra foi desenvolvido com foco em aventureiros (Imagem: Ivo/Canaltech)
O Apple Watch Ultra foi desenvolvido com foco em aventureiros (Imagem: Ivo/Canaltech)

A maior aventura é a autonomia

Quem utiliza relógios inteligentes há alguns anos sabe que a bateria não é o grande diferencial desse tipo de acessório. Todavia, o Apple Watch Ultra foca em ir à contramão desse mercado com uma autonomia surpreendente.

Segundo a empresa, o dispositivo pode funcionar por até 36 horas antes de precisar ser recarregado. Porém, na minha experiência de uso, alcancei 4 dias de consumo. É óbvio que existem variações, conforme o que cada pessoa deixa ativo no aparelho.

Contudo, mantendo todos os sensores ativos 24 horas por dia, mesmo sem a prática efetiva de exercícios, alcançar essa autonomia chama a atenção. Grande parte da justificativa para tal é o próprio tamanho da bateria do Ultra, pois ela é 75% maior do que a presente no Series 8. Logo, é de se esperar que o tempo hábil seja alavancado.

Existem alguns recursos que podem até mesmo ajudar a elevar esse tempo de uso, como a economia de bateria. Dessa forma, o público-alvo do produto não fica “refém” do carregador quando está passando um final de semana na floresta, por exemplo.

A bateria do Apple Watch Ultra pode durar até 4 dias (Imagem: Ivo/Canaltech)
A bateria do Apple Watch Ultra pode durar até 4 dias (Imagem: Ivo/Canaltech)

O preço pode (ou não) afastar os consumidores

Não é novidade que os produtos da Apple possuem preços exorbitantes no Brasil. Porém, até mesmo nos EUA, o Watch Ultra tem um valor que surpreende aos consumidores habituados a verem o preço do relógio ser, em média, US$ 400.

À primeira vista, os US$ 799 cobrados pelo Apple Watch Ultra parecem um exagero. Entretanto, existem outras versões do Series 8, como a construída em aço inoxidável, que custa US$ 749, que é apenas US$ 50 a menos do que o modelo mais premium.

Quando convertemos esse valor para o Real, o Ultra no site oficial da marca chega a inacreditáveis R$ 10.299, e a versão mais cara do Watch Series 8 é R$ 9.599. Então, considerando o material do produto, as funcionalidades e o público-alvo, pode ser que faça mais sentido comprar o Apple Watch Ultra.

É melhor comprar o Apple Watch Ultra em vez do Series 8?

A falta de inovação da Apple ao longo dos últimos 8 anos, desde que o primeiro Apple Watch foi lançado em 2015, faz com que o interesse pelo Watch Ultra cresça. Afinal, o produto consegue “reinventar” uma linha que já estava visualmente estagnada.

Em complemento a isso, vários recursos para praticantes de esportes extremos também geram vantagens pontuais para o público que precisa de um relógio mais resistente. O material robusto garante que a integridade do produto seja maior, bem como as opções de segurança em situações específicas.

Apple Watch Ultra (Imagem: Ivo/Canaltech)
Apple Watch Ultra (Imagem: Ivo/Canaltech)

Considerando que os usuários do Apple Watch prezam por terem em mãos o que há de melhor na empresa, investir no Watch Ultra, talvez, faça mais sentido. Obviamente, isso só pode ser ponderado por quem já prevê gastar uns R$ 9 mil pelo Series 8 em aço inoxidável, pois pode tirar um pouco mais de grana da carteira e já adquirir o mais completo da geração lançada em 2022.

Por outro lado, quem só precisa do modelo básico para usar de forma superficial, o Series 8 de R$ 3.600 já é mais do que suficiente. Eu, por exemplo, optaria pela versão mais básica, pois — além da falta de dinheiro —, não vejo sentido em investir no produto esportivo, mesmo que a bateria seja mais robusta, se costumo passar longe de situações aventureiras.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: