Mercado abrirá em 8 h 53 min

Para negociador da UE, discussões do Brexit vão levar 'semanas'

·2 minutos de leitura
O negociador europeu para o Brexit, Michel Barnier, em 17 de junho, em Bruxelas
O negociador europeu para o Brexit, Michel Barnier, em 17 de junho, em Bruxelas

O principal negociador da União Europeia para o Brexit, Michel Barnier, disse nesta terça-feira (13) que as negociações com o Reino Unido para um acordo sobre a relação pós-divórcio ainda vão durar "semanas", apesar da corrida contra o tempo.

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, afirmou, por sua vez, que se as negociações não chegarem a um acordo em 15 de outubro, seu governo vai-se preparar para uma ruptura total das negociações para definir como será a relação entre as partes após 31 de dezembro.

A UE tem programada uma cúpula em Bruxelas nestas quinta e sexta-feiras, que terá como ponto crítico da agenda a discussão desta negociação com Londres.

O Reino Unido se retirou da UE em 31 de janeiro deste ano, mas continua aplicando as regras de comércio europeias até 31 de dezembro, no chamado período de transição.

Qualquer acordo para definir como será a relação entre a UE e o Reino Unido a partir de janeiro deve ser selado em outubro, para dar tempo de ser ratificado por todas as partes.

No entanto, em uma mensagem no Twitter, Barnier pareceu despejar um balde de água fria, afirmando que as partes ainda manterão negociações por "semanas".

"A UE continuará a trabalhar por um acordo justo nos próximos dias e semanas", escreveu Barnier.

Em Londres, o ministro das Relações Exteriores, Dominic Raab, disse ao parlamento que estava confiante em um acordo, mas reiterou o apelo da Grã-Bretanha por "pragmatismo" aos europeus. 

"Estou esperançoso de que possamos fechar a lacuna, mas no final das contas isso exigirá a mesma boa vontade, o mesmo pragmatismo, a mesma flexibilidade por parte da UE que do Reino Unido", observou.

Por sua vez, uma fonte próxima ao governo alertou Bruxelas que a tática de estender as negociações ao máximo não obteria concessões de Londres. 

Os europeus "presumem que o Reino Unido estaria mais disposto a se comprometer quanto mais o processo se arrasta", criticou.

Enquanto isso, durante uma reunião em Luxemburgo, os ministros europeus estimaram que as negociações comerciais para a relação pós-Brexit haviam chegado a um "estado muito crítico".

"Estamos sob extrema pressão. O tempo está se esgotando", disse o vice-ministro alemão para Assuntos Europeus, Michael Roth.

"Esperamos um progresso substancial dos nossos amigos no Reino Unido em áreas-chave, em particular a gestão do futuro acordo, igualdade de concorrência e pesca", disse ele.

Estes são os três temas centrais das negociações entre Londres e Bruxelas, iniciadas em março passado.

Roth afirmou que os ministros europeus traçaram cenários com, ou sem, acordo com Londres. 

"Estamos preparados para os dois cenários", garantiu, acrescentando que "todos devem saber que a falta de acordo é o pior cenário, não apenas para a UE, mas também para o Reino Unido".

Johnson teve uma conversa com o presidente francês, Emmanuel Macron, no sábado (10), e com a chanceler alemã, Angela Merkel, no domingo (11).

bur-ahg/pc/mr/tt