Mercado fechará em 6 h 42 min
  • BOVESPA

    129.516,40
    +2,78 (+0,00%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.558,32
    +387,54 (+0,77%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,37
    +0,07 (+0,10%)
     
  • OURO

    1.789,10
    +12,40 (+0,70%)
     
  • BTC-USD

    32.736,67
    -1.201,92 (-3,54%)
     
  • CMC Crypto 200

    783,94
    -2,67 (-0,34%)
     
  • S&P500

    4.266,49
    +24,65 (+0,58%)
     
  • DOW JONES

    34.196,82
    +322,58 (+0,95%)
     
  • FTSE

    7.136,17
    +26,20 (+0,37%)
     
  • HANG SENG

    29.288,22
    +405,76 (+1,40%)
     
  • NIKKEI

    29.066,18
    +190,95 (+0,66%)
     
  • NASDAQ

    14.372,75
    +18,50 (+0,13%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,8748
    +0,0125 (+0,21%)
     

Para executivo do HBO Max, notícias e esportes devem ser repensados no streaming

·2 minuto de leitura

O HBO Max chega ao Brasil somente no fim de junho, mas, pelo menos nos Estados Unidos, o serviço vem batendo a cabeça na tentativa de encontrar o melhor formato para oferecer alguns de seus conteúdos. De acordo com um dos executivos da WarnerMedia, ainda há dúvidas sobre como materiais noticioso e esportivo devem ser apresentados na plataforma de streaming, já que a lógica em relação à TV a cabo é completamente diferente.

A discussão surgiu durante uma apresentação a acionistas na última quinta-feira (03). O executivo responsável pelo HBO Max, Andy Forssell, disse que o grande desafio é justamente adaptar esses conceitos de programas e conteúdos tão bem estabelecidos a novos formatos que atendam às necessidades desse público que vai consumi-los em uma plataforma digital. Segundo ele, uma mudança é necessária e isso já está sendo planejado no momento.

No caso dos esportes, Forssell destaca que a ideia não é só replicar o que a Turner Sports fazia até então, já que outros conteúdos precisam ser atrelados àquela atração e que tudo isso é diferente nesse mundo digital. A mesma coisa diz respeito às notícias. Nos EUA, a CNN também está ligada à WarnerMedia e a discussão da companhia é se o conteúdo da emissora é algo que se sustenta de forma independente, fora do HBO Max, ou não.

Isso tudo porque, de acordo com o executivo, o principal foco da WarnerMedia está em vídeos em streaming, o que necessita essa mudança na lógica em torno do conteúdo que tem uma vida no ao vivo apenas. No caso da CNN, uma das possibilidades que vem sendo ventilada nos bastidores é de que jornalistas e apresentadores produzissem conteúdos e até mesmo programas sobre temas variados e de seu interesse, justamente para ampliar a oferta ao público.

Por fim, Forssell destacou que os anos de 2021 e 2022 devem ser de muita experimentação não apenas para o HBO Max, mas para todas as empresas de mídia que possuem algum serviço de streaming, já que todos devem ter que descobrir quais as melhores formas de oferecer e distribuir seus conteúdos para o público — o que inclui aí também os filmes e cinemas também.

No Brasil, o HBO Max chega no dia 29 de junho e também trará conteúdo esportivo em sua grade, incluindo as partidas da UEFA Champions League.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos