Mercado abrirá em 4 h 32 min

Para concorrer com TikTok, YouTube quer expandir vídeos curtos do Shorts

Wagner Wakka
·2 minuto de leitura

O YouTube deve levar para os Estados Unidos o Shorts, a ferramenta de vídeos curtos na rede social semelhante ao TikTok. O recurso havia sido lançado em caráter de testes no ano passado na Índia e deve chegar ao país norte-americano em março.

A informação vem de Neal Mohan, chefe da divisão de produtos da empresa. Ele falou sobre algumas novidades e prioridades do YouTube para 2021.

Atualmente, o Shorts entrega 3,5 bilhões de visualizações diárias para o YouTube, somente com disponibilidade na Índia. Até o momento, não há informações sobre quando o recurso vai chegar ao mercado brasileiro.

<em>Recurso Shorts do YouTube (Foto: Divulgação/YouTube)</em>
Recurso Shorts do YouTube (Foto: Divulgação/YouTube)

Além do Shorts, a empresa também quer melhorar a ferramenta de capítulos, recurso que permite ao criador separar um vídeo por segmentos e facilitar a navegação. Isso já existe na rede social, mas Mohan informa que a companhia quer automaticamente criar capítulos em vídeos, mesmo se o criador do conteúdo não fizer isso manualmente.

Já para o YouTube Kids, Mohan informa que a empresa está trabalhando em ferramentas mais complexas de controle parental. Uma delas seria de permitir que os pais possam adicionar vídeos à conta dos filhos sem precisar fazer a transição de contas. Ou seja, logado em seu próprio perfil, poderia criar uma lista a ser acessada pela criança na conta Kids.

Em janeiro deste ano, a CEO da plataforma Susan Wojcicki disse que a empresa também teria foco em novas formas de receita para os criadores de conteúdo. Pois bem, segundo Mohan, o YouTube vai ampliar a ferramenta de “aplauso”, que permite converter as reações da audiência em receita em transmissões ao vivo.

Atualmente, este recurso de aplausos está disponível em testes somente nos Estados Unidos. Mohan não disse se vai levar o recurso para outros países, mas prometeu uma expansão da ferramenta.

De acordo com ele, o YouTube deve lançar nas próximas semanas uma publicação detalhando as propostas que ele compartilhou.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: