Mercado fechado

Para comportar aumento de juízes, Temer pode cortar mais de R$ 1 bilhão em investimentos

(Paulo Lopes/Futura Press)

O aumento de 16,38% nos salários dos juízes brasileiros pode custar mais do que o contribuinte imagina. Um levantamento do jornal Folha de São Paulo aponta que o presidente Michel Temer estuda o corte de mais de R$ 1,1 bilhão em investimentos no país para acomodar a soma.

Aumento

O Supremo Tribunal Federal (STF) aprovou no início do mês um reajuste de 16,38% em seus salários, que passaram de R$ 33,7 mil para R$ 39 mil. Como os rendimentos dos ministros do STF correspondem ao teto do Judiciário, outros profissionais decidiram “pegar carona” e pedir um aumento. Para que isso seja possível, no entanto, o presidente deve fazer uma emenda na lei orçamentária, indicando de onde virá o dinheiro. A publicação afirma que o valor virá do corte de investimentos e será usado para pagamentos de juízes e procuradores.

Quanto vai custar?

O reajuste salarial deve custar pelo menos mais R$ 930 milhões, mas poderia chegar a até R$ 1,1 bilhão, se considerado o salário de cargos com salários atrelados ao do teto do Judiciário. Cálculos realizados pelas equipes do Ministério do Planejamento e do Tesouro Nacional mostram que o investimento pode ficar abaixo de R$ 30 bilhões, bem menos do que os R$ 47 bilhões destinados no ano passado.

Teto de gastos

A elevação nos salários ainda sofre com o teto de gastos públicos, medida que limita as despesas do governo à inflação. Para conseguir cumprir as exigências sem estourar o limite, os ministros do STF discutem o fim do auxílio-moradia, responsável por um pagamento de R$ 530 milhões por ano.