Mercado fechará em 5 h 35 min
  • BOVESPA

    100.976,94
    -282,81 (-0,28%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.707,72
    +55,52 (+0,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    38,98
    -0,87 (-2,18%)
     
  • OURO

    1.905,10
    -0,10 (-0,01%)
     
  • BTC-USD

    13.168,73
    +91,72 (+0,70%)
     
  • CMC Crypto 200

    263,88
    +2,42 (+0,93%)
     
  • S&P500

    3.465,39
    +11,90 (+0,34%)
     
  • DOW JONES

    28.335,57
    -28,13 (-0,10%)
     
  • FTSE

    5.849,19
    -11,09 (-0,19%)
     
  • HANG SENG

    24.918,78
    +132,68 (+0,54%)
     
  • NIKKEI

    23.494,34
    -22,25 (-0,09%)
     
  • NASDAQ

    11.571,25
    -92,25 (-0,79%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6644
    +0,0005 (+0,01%)
     

Parças! Tim Cook deve receber Donald Trump em fábrica da Apple, no Texas

Felipe Ribeiro

Alguns veículos dos Estados Unidos já estão noticiando o que seria um encontro e tanto no universo da tecnologia - e da política, claro. Segundo o pessoal do CNBC, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, visitaria uma fábrica da Apple no Texas, mas com um anfitrião bem especial: nada mais, nada menos, do que Tim Cook, o CEO da empresa.

Nem a Casa Branca nem a Apple anunciaram oficialmente o encontro, mas o passeio de Trump na planta reforçaria o relacionamento amigável de Cook com o atual governo, enquanto a guerra comercial dos EUA com a China continua se arrastando. O pessoal do The Verge entrou em contato com a Casa Branca sobre a viagem, mas um porta-voz se recusou a confirmá-la, dizendo que "a Casa Branca não tem anúncios de programação no momento". A Apple também não se manifestou.

É sabido que Tim Cook teve reuniões frequentes com Trump ao longo de sua presidência. Em 2017, ele participou de um dos conselhos consultivos de negócios da administração e foi um dos poucos a permanecer depois que Elon Musk e Travis Kalanick, entre outros executivos do setor foram embora. Cook também faz parte do Conselho Consultivo de Políticas da Força de Trabalho do governo Trump e participou de várias reuniões da Casa Branca em conexão com o conselho.

Tim Cook, Donald Trump e Ivanka Trump, em reunião na Casa Branca, neste ano/ Imagem: Tom Brenner/Getty Images
Tim Cook, Donald Trump e Ivanka Trump, em reunião na Casa Branca, neste ano/ Imagem: Tom Brenner/Getty Images

"Ele tem me ligado com frequência", disse Trump, em agosto, quando perguntado sobre seu relacionamento com Cook. "É por isso que ele é um ótimo executivo, porque ele me liga, e outros não. Outros saem e contratam consultores muito caros, e Tim Cook liga diretamente para Donald Trump", comentou o presidente.

Mas e a China?

As tarifas de Trump trouxeram um desafio a mais para a Apple, que depende fortemente da mão-de-obra chinesa para fabricar seus produtos. No início do outono americano (primavera brasileira), a Maçã concordou em fabricar seu mais recente modelo de desktop, o Mac Pro, em Austin, no Texas. Essa decisão foi tomada apenas alguns dias depois que os reguladores comerciais aprovaram a maioria das isenções tarifárias da Apple em peças de computadores. Até agora, o relacionamento de Cook com Trump manteve a empresa segura no que se refere à guerra comercial com o gigante asiático. O presidente, ainda em sua campanha eleitoral, havia estabelecido como objetivo impulsionar a mão-de-obra americana e uma de suas metas era trazer a fabricação de dispositivos eletrônicos de volta - hoje em diversos países asiáticos, além da China - ao EUA novamente.

Em novembro, a Apple solicitou ao governo Trump isenções adicionais de produtos como os Apple Watches e os componentes do iPhone exportados da China, que não foram aprovadas de imediato. Quem sabe após mais um encontro entre Cook e Trump, esse "perdão fiscal" possa aparecer? Vamos ver.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: