Papéis atrelados ao IPCA têm alta no Tesouro Direto

O Tesouro Nacional vendeu, em outubro, R$ 251,6 milhões em títulos públicos para pessoa física pelo programa via internet Tesouro Direto. As vendas tiveram um crescimento de 14,3% em relação a setembro. Em outubro, 4.135 novos investidores se cadastraram no Tesouro Direto. Com isso, o programa atingiu 321.667 aplicadores, o que representou aumento de 20,2% nos últimos 12 meses.

A demanda de outubro foi maior para títulos indexados ao IPCA (NTN-B), cuja participação nas vendas atingiu 77,3%, que é o maior valor da série. Os títulos prefixados (LTN e NTN-F) ficaram em segundo lugar entre os mais vendidos, com participação de 17,5% do total das vendas. Os títulos atrelados à taxa Selic (LFT) tiveram pouca demanda, com apenas 5,2% nas vendas do mês passado.

Segundo nota do Tesouro Nacional, divulgada na tarde desta terça-feira, a utilização do programa por pequenos investidores pode ser observada pelo volume de vendas de até R$ 5 mil, cuja participação representou 63,3% do aplicado no mês. O valor médio por operação, em outubro, foi de R$ 13.264,00.

As vendas de títulos com prazo entre um e cinco anos representaram 29,4% do total e os papéis com prazo acima de cinco anos atingiram 70,6% (o maior valor desde o início do programa, em janeiro de 2002). O resultado mostra que o programa é uma opção de médio e longo prazo para os brasileiros. O estoque total do Tesouro Direto atingiu R$ 9,2 bilhões. Em outubro, os títulos remunerados por índices de preços responderam pelo maior volume do estoque, alcançando 60,8%, também o maior valor da série.

Carregando...