Mercado fechado

Pandemia: o que seus novos hábitos podem causar aos dentes

·3 minuto de leitura
Foto: Shutterstock
Foto: Shutterstock

Em meados de março de 2020, o Brasil registrou o primeiro caso de covid-19. Para conter a disseminação da doença, foi adotada uma série de medidas de distanciamento social. Uma delas foi trabalhar ou estudar de maneira remota – precaução que segue em prática por muita gente. Com mais tempo em casa, no entanto, as pessoas adquiriram novos hábitos. Alguns deles, inclusive, ruins. Ainda mais quando estão relacionados à saúde bucal.

Veja mais conteúdo de saúde bucal

Alimentação irregular

Quando estão em casa, as pessoas tendem a comer algo entre as refeições. Muitas vezes, em vez de escolher opções saudáveis, como frutas, é comum optar por salgadinhos, biscoitos, bolos e balas. Esses alimentos, em geral, são ricos em açúcar e costumam grudar nos dentes. A partir daí, caso não haja uma boa higienização bucal, você estará mais propenso a cáries e problemas de gengiva.

Higienização negligenciada

Passar mais tempo em casa também pode impactar a rotina de higienização bucal. Tanto é que pesquisas apontam que os brasileiros estão esquecendo de escovar os dentes durante a quarentena. E com a alta ingestão de açúcares entre as refeições, os problemas não demoram a aparecer. O ideal é seguir uma rotina de limpeza, com o uso de escova de dentes, fio dental e enxaguante bucal três vezes ao dia.

Aparição do mau hálito

A falta de escovação durante a pandemia cria um ambiente propício para a aparição do temido mau hálito. Isso porque ele é provocado, principalmente, pela higienização bucal inadequada. Na prática, se a pessoa não elimina os restos de alimentos que se acumulam entre os dentes, na língua e na gengiva, um odor ruim acaba surgindo.

Não lavar as mãos antes da escovação

Em tempos de coronavírus, higienizar as mãos é regra. Mas esse hábito não deve ser seguido apenas para evitar a covid-19. Antes de escovar os dentes, é essencial lavar mãos e pulsos. Isso evita que qualquer bactéria entre em contato com a boca e a pessoa adoeça.

Estresse em alta

O período de isolamento social pode gerar estresse. Consequentemente, o esgotamento mental pode desencadear problemas relacionados à saúde bucal. Um deles é o bruxismo, o hábito de ranger os dentes, principalmente durante à noite. Outro é aparição de aftas, pequenas inflamações pela boca. Para aliviar esses incômodos, uma boa dica é apostar nas meditações para acalmar o corpo e relaxar a mente.

Consumo de cigarros e bebidas alcoólicas

O aumento no consumo de cigarros e bebidas alcoólicas durante a pandemia pode estar relacionado ao estresse. Para lidar com esse tempo atípico, há quem recorra a esses maus hábitos como forma de escape. Os dois itens, entretanto, podem afetar a coloração dos dentes e até provocar cânceres na boca e na garganta.

Visitas espaçadas ao dentista

Os procedimentos de rotina feitos pelos dentistas, como limpezas e restaurações de coroas, não são considerados como emergenciais. Por isso, as visitas ao consultório podem ter maior espaçamento durante a pandemia – fugindo do usual seis em seis meses. Para quem tudo caminhe bem, no entanto, o paciente deve manter a saúde bucal em dia e cultivar bons hábitos de higiene.

Chega de bafo! Veja como acabar com o mau hálito